Governo do Estado firma contrato com BNDES para desestatização da ES Gás

145

O Governo do Espírito Santo, por meio da Secretaria de Inovação e Desenvolvimento (Sectides), e a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora) firmaram, nesta sexta-feira (24/08), o contrato de estruturação da desestatização da Companhia de Gás do Espírito Santo (ES Gás) com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), por meio da venda em conjunto das ações na companhia. A assinatura foi realizada em solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória.

A ES Gás é uma empresa de economia mista em que o Estado do Espírito Santo detém 51% do capital votante, tendo como sócia a Vibra Energia com os demais 49%. A contratação formalizada nesta data contempla a realização de estudos para a elaboração da modelagem de venda das ações da ES Gás, que, quando concluída, será oportunamente submetida à deliberação do Conselho de Administração da Vibra Energia e ao Governo do Estado.

“Esse é um momento importante para o Espírito Santo e para o Brasil. Com recursos do petróleo, que é uma riqueza finita, criamos o Fundo Soberano para investir no futuro do Estado e também atrair empresas e gerar oportunidades. Nossa ação é para que essa empresa tenha atuação dentro e fora do Brasil e que o gás seja instrumento do nosso desenvolvimento, sendo uma energia de transição para desenvolver nossa base industrial”, afirmou o governador Renato Casagrande.

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, explicou que a desestatização da ES Gás compõe o Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, com foco na retomada da economia e atração de novos investimentos.

“A ES Gás é uma empresa importante para nós e que surgiu nos moldes do Novo Mercado de Gás. A decisão sobre a desestatização foi bem estudada pelo Governo do Estado e temos a certeza de que será um caminho para a concretização de um conjunto de investimentos, por meio de uma empresa privada”, destacou.

AGILIDADE

O diretor-presidente da ES Gás, Heber Resende, analisa que a desestatização será importante para dotar a concessionária de agilidade em suas atividades, conferindo competitividade em suas ações: “Já temos um arcabouço legal consistente, conferido pela Nova Lei do Gás, pela Lei Estadual do Mercado Livre de Gás e pelo moderno contrato de concessão da ES Gás. Este marco legal, se somado a uma empresa ágil e competitiva, poderá ajudar muito o Estado na atração de investimentos. Vale lembrar que estamos cercados de gás, não só no Espírito Santo, como também em outros estados, como o Rio de Janeiro e Bahia, e temos um mercado ávido por esta fonte energética”.

Resende frisou ainda que a empresa terá uma atuação mais competitiva, que permitirá explorar todas as possibilidades de levar o gás produzido para qualquer lugar, especialmente nos estados limítrofes, por um gasoduto que perpassa o País inteiro, e a ambientes carentes deste insumo, como Minas Gerais. Fora outras possibilidades, segundo ele, que se encontram aquecidas, como o mercado de GNL (gás natural liquefeito).

O diretor-presidente da ES Gás destaca que o Espírito Santo dá um passo importante para a competitividade do Estado e da concessionária, ao desestatizá-la: “Permite que sua atuação se volte para o atendimento a este mercado pujante, ao ter mais agilidade em suas aquisições e atividades internas, hoje comprometidas com o atendimento legal exigido de uma estatal. Em suma, será um processo extremamente benéfico ao Estado e aos capixabas”.

Ja o presidente da Vibra Energia, Wilson Ferreira Júnior, afirmou que a privatização da ES Gás está em linha com a gestão ativa de portfólio que a Vibra vem realizando desde sua privatização, em 2019: “Continuamos focados em nossa transformação cultural e no reposicionamento como uma empresa de energia que vai participar ativamente da transição rumo à economia de baixo carbono. Para a população capixaba, certamente a operação irá trazer mais investimentos, empregos, melhorias na qualidade do serviço e avanços na universalização”.

ES GÁS

Constituída pela Lei Ordinária n° 10.955/2018, a ES Gás é uma empresa de economia mista em que o Estado do Espírito Santo detém 51% do capital votante, tendo como sócia a Vibra Energia (antiga BR Distribuidora), com os demais 49%.

No Espírito Santo, é a concessionária responsável pela distribuição do gás natural canalizado, regulada pelo órgão estadual, a Agência de Regulação de Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP). A ES Gás atua nos segmentos residencial, comercial, industrial, automotivo, de climatização, cogeração e termoelétrico, totalizando mais de 60 mil unidades consumidoras.


CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | COM INFORMAÇÕES DA SECOM-ES

COMENTE ESTA NOTÍCIA!