NOTA DE REPÚDIO – Equipe do CENSURA ZERO sofre agressão, xingamentos e cerceamento à liberdade de imprensa na Prefeitura de São Mateus

3375

A Direção do portal CENSURA ZERO repudia, com veemência, a agressão, os xingamentos e o cerceamento à liberdade de Imprensa praticados contra nossa Equipe de Reportagem, na tarde desta segunda-feira (16/03), pela Prefeitura Municipal de São Mateus, por meio dos secretários Júnior Eler (Comunicação Social) e Renilto Correia (Agricultura), e Dilton Oliveira Pinha, assessor informal do prefeito Daniel Santana. Os fatos lamentáveis ocorreram no Centro Administrativo da PMSM, no Bairro Carapina.

O jornalista André Oliveira e o publicitário Eduardo Ferreira foram recebidos de forma arbitrária e hostil pelo Secretário Municipal de Comunicação, jornalista Júnior Alves Eler Ramos, por volta das 14h, no início dos procedimentos para a possível cobertura da reunião dos produtores rurais do Distrito de Nova Verona e região com o prefeito Daniel Santana, o Secretário Municipal de Agricultura, Renilto Correia, e Vereadores.

Demonstrando insatisfação com a postura do CENSURA ZERO, que tem feito críticas à linha de trabalho da Secretaria Municipal de Comunicação Social, denunciando a ligação direta da pasta com uma rede criminosa de páginas de Facebook para produção e distribuição de fake news de forma institucionalizada, Júnior Eler declarou que o jornalista André Oliveira não era bem-vindo nas dependências da Prefeitura de São Mateus.

Em flagrante desrespeito profissional e infração ao Código de Ética dos Jornalistas, diante de todos os presentes, Júnior Eler referiu-se a André Oliveira como “sacana”, impedindo a cobertura da reunião, numa atitude arbitrária inadmissível a um servidor público no exercício de relevantes funções da pasta, como Atendimento à Imprensa e Assessoria de Comunicação.

Já o secretário municipal de Agricultura, Renilto Correia, acusou publicamente a Equipe do CENSURA ZERO de estar “usando politicamente os produtores rurais”, talvez pela publicação de reportagens em vídeo das reivindicações apresentadas por eles na sessão ordinária da Câmara Municipal na terça-feira (10/03), igualmente arbitrando que não seria permitida a presença da imprensa na reunião. Não foi permitido sequer o registro em fotos.

Quando questionado, o Secretário de Agricultura acrescentou que não se tratava de reunião política. À afirmação, o jornalista André Oliveira esclareceu que a Equipe de Reportagem havia sido convidada para o encontro pela comitiva de produtores rurais. Ponderou que, não vinha ao caso, mas a reunião envolveria, sim, decisões políticas, por conta da presença do Prefeito, dos Vereadores e do próprio Secretário, que é um agente político nomeado.

DILTÃO DE DANIEL

Quando aguardava do lado de fora do Centro Administrativo, a Equipe do CENSURA ZERO foi atacada por Dilton Oliveira Pinha, que assessora o prefeito Daniel Santana por meio da rede de páginas Boca no Trombone, e estava no Gabinete do Prefeito quando ocorreu a confusão na área interna.

Acompanhado da esposa, Diltão exigiu que a câmera em poder do cinegrafista Eduardo Ferreira fosse desligada, dirigiu-se agressivamente ao jornalista André Oliveira e jogou sobre ele um copo com água de coco. De forma insistente e com intimidação, ele exingou os profissionais de “vagabundo” e “filho da p*ta”, até ser afastado pela companheira.

A Direção do CENSURA ZERO cobra uma providência do prefeito Daniel Santana, por entender que ele conhece o comportamento do seu assessor informal Dilton Pinha, sabe de seu histórico de intimidações, agressões, produção e criação de fake news, e cometimento contínuo de crimes de calúnia, difamação e injúria, e jamais o repreendeu publicamente ou desautorizou sua atuação no âmbito da gestão municipal. Pelo contrário, os fatos comprovam que o Chefe do Executivo de São Mateus conhece e incentiva a parceria da Secretaria Municipal de Comunicação com a rede de páginas Boca no Trombone e o conteúdo condenável que propaga na maioria das postagens.

O CENSURA ZERO denunciará a agressão, os xingamentos e o cerceamento à liberdade de imprensa à Polícia Civil, ao Ministério Público, ao Sindicato dos Jornalistas no Espírito Santo e à Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), para que fatos lamentáveis como os registrados nessa segunda-feira (16/03) tenham punição e não voltem mais a ocorrer em São Mateus.

DIREÇÃO DO CENSURA ZERO

(VISÃO ATALAIA EDITORA, COMUNICAÇÃO E MARKETING EIRELI)

*O portal CENSURA ZERO publicará nesta terça-feira (17/03) reportagem em vídeo completa sobre a agressão, os xingamentos e o cerceamento à liberdade de imprensa na Prefeitura de São Mateus.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!