ARTIGO – Petrocity Portos e seus desafios

949
DIVULGAÇÃO

POR CÁSSIO CALDEIRA*

Por diversas vezes assisti a apresentação do projeto Petrocity Portos. Um projeto muito bem elaborado, com estudos minuciosos de viabilidade técnica, com um payback de curto prazo, com investidores potenciais que acreditam e bancam o projeto, com o apoio expressivo de uma sociedade tão carente de emprego e renda, portanto não há motivos para colocar em dúvida a concretização desse audacioso projeto.

Lembrando que esse projeto já foi aprovado pela secretaria especial de portos, pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários, pela Secretaria de Patrimônio da União, pela Marinha do Brasil, ou seja, o projeto já foi aprovado por quem tinha que aprovar; o que se discute nesse momento é meramente uma licença ambiental.

Porém temos visto algumas lideranças com indiferença, ou pior, com discursos pessimistas e outros literalmente torcendo contra. Na minha ótica, situação puramente normal, pois um projeto de tamanha envergadura incomoda e fere interesses de grandes grupos que sempre quiseram ter a hegemonia do poder e total controle da situação pertinente aos seus interesses pessoais e empresariais, não tendo a mínima preocupação com o interesse coletivo da uma sociedade, hoje tão carente de empregos e renda.

EMPRESÁRIO CÁSSIO CALDEIRA, EM EVENTO DA CÂMARA DE SÃO MATEUS

Fico preocupado quando olhamos para a esfera política que acompanha de camarote toda a situação e lembro que no período eleitoral generalizaram o mesmo discurso que trabalharia incansavelmente pela retomada do desenvolvimento, principalmente na Região Norte do Estado.

Sabemos que é um projeto privado, mas a falta de boa vontade política nessa questão deixa grandes interrogações no ar, pois fica tudo sem sentido, para não dizer decepcionante. Principalmente quando a classe menos favorecida sempre é a mais prejudicada.

Porém o projeto, com toda a certeza, seguirá em frente, provavelmente com atrasos para a alegria de muitos, mas se viabilizará pois:

1 – Não depende de dinheiro público, o capital é privado

2 – Conheço o projeto é muito bem estruturado e fundamentado.

3 – Tem até o momento as aprovações necessárias do governo Federal

4 – Tem o apoio expressivo de toda uma sociedade otimista

5 – Muitos contratos já assinados com previsão de início ainda para este primeiro trimestre.

6 – O projeto vem ao encontro a necessidade e a integração regional do transporte de cargas.

7 – Pela necessidade da dinâmica reprimida de cargas ociosas no norte noroeste do estado, sul da Bahia e leste de Minas Gerais.

8 – Todos os contratos necessários para a construção do Porto para com as empresas construtoras já foram assinados inclusive com as empresas que irão operacionar o porto.

9 – Possui o reconhecimento técnico de entidades tais como: ANTAC, SEPE, SPU, MARINHA DO BRASIL E PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MATEUS.

10 – Já estão em andamento os cursos de preparação, formação e capacitação de mão de obra, portuária assinado com prefeituras do norte do estado.

Enfim, poderia colocar mais 10 ações adicionais estruturantes e efetivas, apenas a título de esclarecimentos da situação atual do projeto Petrocity.

Finalizando, do meu ponto de vista, tudo será apenas uma questão de tempo, curto tempo por sinal, pois a classe trabalhadora tem pressa, os empresários precisam de novos horizontes e a sociedade não é mais burra; e, com toda a certeza, saberá como sempre lutar pelos seus ideais!

Quanto aos pessimistas, sinto em dizer que já não há mais como voltar atrás: o projeto Petrocity já é uma realidade e não vamos perder o bonde do desenvolvimento no Norte do Estado.

….

*Cássio Caldeira é empresário, proprietário da Qualimec em São Mateus-ES.

COMENTE ESTA NOTÍCIA!