Athletico-PR segura Inter e leva título inédito da Copa do Brasil

415
FERNANDO ALVES/AGÊNCIA O DIA/AGÊNCIA O DIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Havia times considerados mais favoritos, mais copeiros, com jogadores e técnicos mais badalados. No entanto, nenhum deles foi páreo para o belo trabalho realizado por Tiago Nunes e seu Athletico-PR que, nesta quarta (18/09), venceu o Internacional no Beira-Rio, por 2 a 1, e levou o título inédito da Copa do Brasil.

O Athletico-PR chegou a abrir o placar com Léo Cittadini. Depois, levou o empate com Nico López. O Inter, depois, tentou, de todas as formas, mas não conseguiu fazer o gol que levaria o gol para a decisão dos pênaltis. Nos acréscimos, após linda jogada de Marcelo Cirino, Rony marcou o gol que deu a vitória e o título para os paranaenses no estádio adversário.

O título coroa não só o belo trabalho de Tiago Nunes, mas também da diretoria do Furacão, que apostou em um time bom, bonito e barato. Além de três pratas da casa entre os titulares — Santos, Khellven e Léo Pereira –, o Athletico-PR fez investimentos relativamente baratos: Marco Ruben por empréstimo do Rosario Central por 200 mil dólares; Rony, após imbróglio com o Albirex Niigata, do Japão, e Abner Vinícius, a contratação mais cara –especula-se que o Athletico tenha investido 10 milhões no pagamento da multa rescisória do jovem de 19 anos, revelação da Ponte Preta.

O JOGO

Começo de jogo bastante nervoso no Beira-Rio. Sem D’Alessandro, que fez exames antes da partida e foi vetado, o Internacional se lançou ao ataque usando Wellington pela esquerda e Nico Lopez pela direita, além do lateral Uendel, que também articulou jogadas pelo meio.

A grande quantidade de faltas, no entanto, impediu que a bola rolasse por muito tempo nos primeiros 15 minutos.

Apesar dos mais de 70% de posse de bola do Internacional, foi o Athletico-PR que abriu o placar. O Furacão conseguiu encaixar um contra-ataque e, após boa jogada pela esquerda, Marco Ruben tocou no meio da entrada da área, encontrando Léo Cittadini que, cara a cara com Marcelo Lomba, aumentou a vantagem e complicou a vida do Colorado.

Apesar de ter levado o gol, o Inter não esmoreceu. Aos 30, Nico López cobrou escanteio e, após bate-rebate dentro da área, Rodrigo Lindoso cabeceou no travessão. O próprio Nico apareceu para completar para a meta de Santos e empatar o duelo.

SEGUNDO TEMPO

O Internacional veio para o segundo tempo com Rafael Sóbis no lugar do lateral Patrick, que não foi bem na etapa inicial. Depois, Nonato entrou no lugar de Bruno.

O Colorado seguiu atacando, usando Sóbis pelo lado, que fazia a troca com Nico, mas não conseguiu superar a defesa do Furacão nos primeiro 20 minutos da etapa complementar.

Já nos acréscimos, Rony colocou a pá de cal nas esperanças coloradas. Após bela jogada de Marcelo Cirino, que aplicou um drible desmoralizante em Rafael Sóbis e Edenílson, o atacante cruzou rasteiro para o camisa 7 marcar o gol da vitória e do título do Furacão.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: METRÓPOLES

COMENTE ESTA NOTÍCIA!