‘CALA A BOCA’: Bolsonaro repete fala de Newton Cruz, general da ditadura; veja os vídeos!

-

Ao ser questionado por jornalistas, nesta terça-feira (5/05), sobre a troca do superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro, o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se descontrolou, chamou de “patifaria” uma reportagem da Folha de S. Paulo que atribuía a substituição ao Presidente e, por duas vezes, mandou os profissionais de imprensa “calarem a boca”.

Uma cena semelhante foi vista em 1983, durante a ditadura militar, quando o general Newton Cruz, no Governo João Figueiredo, classificou como “falsidades” as matérias que detalhavam o estado de emergência decretado pelo governo brasileiro à época.

Visivelmente alterado, o militar ordenou que um repórter calasse a boca, deu um empurrão no jornalista e exigiu um pedido de desculpas.

Irritado, Newton Cruz negava que o estado de sítio fosse um retrocesso. A medida foi declarada pelo então Presidente João Figueiredo pouco antes da votação da Emenda Dante de Oliveira, que visava retomar o processo de eleição direta ao Palácio do Planalto. As imagens estão presentes no documentário Céu Aberto, do cineasta João Batista de Andrade.

Quando o jornalista Honório Dantas, da Rádio Planalto, indagava sobre o estado de emergência, o general respondeu de modo furtivo, dizendo que o profissional não sofreu nenhum tipo de agressão enquanto vigorava a situação de exceção. Dantas, então, tentou fazer um novo questionamento, mas Cruz se alterou.

Ao pedir para continuar respondendo, Newton Cruz recebeu o consentimento de Dantas. “Então cale a boca”, diz, de modo grosseiro, o general. Em protesto, o jornalista desliga o microfone. “Desliga essa droga, então”, continuou, furiosamente, o militar, dando um empurrão no repórter.

“Como repórter da Rádio Planalto, me sinto honrado em levar um empurrão do general”, comentou o profissional, enquanto deixava o local da entrevista. A partir, daí, outros militares foram ao encontro de Dantas, que foi obrigado se dirigir ao general e pedir desculpas pelo ato.

VEJA O VÍDEO COM O INSULTO DO GENERAL NEWTON CRUZ (1983):

‘PATIFARIA’

Nessa segunda-feira, o novo diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, mexeu no comando da corporação no Rio de Janeiro. Bolsonaro, no entanto, negou ter pedido a troca e, mais uma vez, voltou a disparar contra a Folha.

“É uma manchete canalha e mentirosa e vocês da mídia, tenham vergonha cara. A grande parte publica patifaria”, acusou.

Repórteres de O Estado de S. Paulo seguiram questionando o Presidente sobre uma possível interferência do Chefe do Executivo no comando da Polícia Federal no Rio. “Cala a boca, não perguntei nada”, gritou, em resposta.

Segundo Bolsonaro, Carlos Henrique Oliveira, ex-superintendente, passará a ocupar a diretoria-executiva da Polícia Federal. “O atual superintendente do Rio de Janeiro, que o Moro disse que eu quero trocar por questões familiares… Não tem nenhum parente meu investigado pela PF, nem eu, nem meus filhos. Zero. É uma mentira que a imprensa replica o tempo todo, dizer que meus filhos querem trocar o superintendente”, alegou.

VEJA O VÍDEO COM O INSULTO DE JAIR BOLSONARO (2020):

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: O ESTADO DE MINAS

spot_imgspot_img
spot_img

OUTROS DESTAQUES:

Open chat
Olá, seja bem-vindo(a) ao portal CENSURA ZERO!
-Faça seu cadastro para receber Boletins Informativos em Transmissão pelo WhatsApp e autorizar o envio de notícias!
-É simples, rápido e seguro, nos termos da nossa Política de Privacidade, disponível no site.
-Deixe seu NOME COMPLETO e a CIDADE onde mora!
Obrigado e volte sempre!