Casa Verde e Limão: bons bairros para morar na Zona Norte de São Paulo

-

Os bairros/distritos da Casa Verde e do Limão, situados na Zona Norte da cidade de São Paulo, são administrados pelas subprefeituras da Casa Verde e Cachoeirinha, mais precisamente na região Nordeste da capital paulista. Em referência à Casa Verde, a princípio, o bairro detém uma população de 65.687 habitantes que, predominantemente, pertencem à classe média.

Encarregada de interligar as regiões da Freguesia do Ó e Santana, a Casa Verde não é contemplada com nenhuma estação de metrô. Contudo, a acessibilidade ao local é facilitada. Isto porque, localizando-se próxima à Estação Palmeiras-Barra Funda e à Estação Santana, seus moradores sentem-se respaldados pelo transporte público em virtude da boa localização do bairro que, além de compreender fácil acesso ao metrô, atribui ao Terminal Casa Verde o fluxo diário de ônibus, incumbido de efetuar os deslocamentos daqueles que necessitam do transporte público para fins profissionais, de estudo ou lazer por toda a extensão do bairro e arredores.

A Casa Verde e suas particularidades

O distrito da Casa Verde, por sua vez, integra outros bairros além da Casa Verde propriamente dita, dentre os quais podemos mencionar a Vila Baruel, o Parque Souza Aranha, o Jardim das Laranjeiras, a Vila Célia, o Sítio do Mandaqui, o Jardim São Miguel, o Parque Léo, entre outros, caracterizando um elevado volume populacional na região e contribuindo para a expansão cada vez mais abrangente do comércio, tamanha a demanda presente na região.

Antes denominado Vila Tietê, separou-se de Santana em 1928 e, posteriormente, a Casa Verde se transformou em um distrito, originando um processo de urbanização que, embora tenha sido demorado, atingiu seu ápice no Século XXI, se credenciando como uma região extremamente geradora de emprego e que goza de qualidade de vida.

A acessibilidade na região

Em virtude da presença do Campo de Marte, que se localiza próximo a Santana e, de certa forma, não compreende tanta distância em relação à Casa Verde, a oferta imobiliário na região era restrita. Os prédios residenciais, que eram escassos, comportavam a população do bairro quase integralmente.

Contudo, após um aval da Aeronáutica brasileira, sinalizando positivamente acerca da possibilidade de construção de imóveis próximos à região mencionada, instaurou-se o processo de verticalização na Casa Verde, contribuindo para o fomento do comércio que, norteado pelo fluxo cada vez mais assíduo de pessoas à região para residir, ampliou sua oferta para que o consumidor pudesse desfrutar de variedade e fácil acesso ao consumo no bairro.

A qualidade de vida e empregabilidade no bairro

E este cenário refletiu na economia da Casa Verde que, além de se avolumar em tão pouco tempo, atuou em prol do estímulo de investidores em destinar verbas ao bairro, embasado no potencial financeiro compreendido na região e que, sobretudo, sinaliza perspectivas ainda mais otimistas. No tocante ao IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), a Casa Verde dispõe de um indicador bem acima da média nacional, registrando 0,832 e evidenciando o quão benéfico é, para o cidadão paulistano, rumar ao bairro hoje. Diante desta nova propensão, a busca por casas para alugar na Casa Verde cresceu vertiginosamente.

A oferta, que moldou-se embasada no recuo da taxa de desemprego na capital paulista, identificou a necessidade de lançar novos empreendimentos que impactassem perfis distintos de consumidor. Por isso, na Casa Verde, bairro que associa o acesso a natureza, contando com inúmeras áreas verdes, à diversidade comercial, o morador sente-se cada vez mais cativado pelas credenciais que o bairro reúne, ambicionando desfrutar de todas os predicados do local por décadas e, com isso, estimulando mais pessoas a se deslocarem a região.

O Bairro do Limão e seus predicados

O bairro do Limão, por sua vez, abrange uma população de 80.571 habitantes, que também é, predominantemente, pertencente à classe média. O distrito, que é vizinho da Casa Verde, inclusive, abriga inúmeros bairros, dentre os quais podemos elencar o Jardim Pereira Leite, o Jardim das Graças, a Vila Barbosa, o Jardim Marina, o Jardim Primavera, a Vila Caroline, além, claro, do bairro do Limão. Ocupado em sua maioria por chácaras e sítios no Século XX, o processo de desenvolvimento na região originou-se em 1939, passando a fomentar timidamente o fluxo de moradores e o comércio.

Todavia, a urbanização no bairro do Limão, assim como na Casa Verde, estabeleceu-se de forma mais englobante na década de 1980, beneficiando a expansão do comércio, da indústria e, consequentemente, da empregabilidade, demandando de uma maior leva de mão de obra e suprindo a carência da população. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) que representa o Limão, por sua vez, atinge o indicador de 0,847, considerado elevado para os padrões nacionais e escancarando o potencial da região no que se refere à qualidade de vida e infraestrutura.

Para que o transporte na região fosse otimizado, favorecendo a acessibilidade, a presença de vias que interligassem todas as extensões do bairro foi imprescindível neste contexto, dentre as quais atribuímos as Avenidas Celestino Bourroul, Avenida Deputado Emílio Carlos e Avenida Nossa Senhora do Ó a incumbência de facilitar a locomoção urbana no Limão.

A infraestrutura local

Em referência à educação, o bairro oferta um sistema de ensino extremamente consolidado na Zona Norte, motivando jovens e adolescentes a rumarem para a localidade com o intuito de agregarem conhecimento para que, em médio prazo, estes possam ingressar no mercado de trabalho reunindo todas as condições propícias de aprendizado.

Em conformidade com todo o cenário empregatício da região, o mercado imobiliário do bairro do Limão também foi sugestionado. O cidadão paulistano, propenso a integrar regiões que potencializem suas pretensões profissionais e financeiras, passou a conduzir a possibilidade de busca de casas à venda no Limão de forma otimista.

O mercado imobiliário de ambos os bairros

Desta maneira, estes coeficientes alavancaram o mercado imobiliário da região da norte paulistana que, nos últimos anos, alcançou o melhor resultado em relação às demais zonas. Responsável por 28,7% das aquisições de imóveis na cidade de São Paulo, o cidadão da Zona Norte promoveu um boom na economia da cidade. E o bairro do Limão detém participação neste processo. Portanto, não hesite em rumar ao Limão se, dentre seus anseios, está integrar em um bairro detentor de boa infraestrutura, qualidade de vida, desenvolvimento humano e urbanizado ao extremo.

Gostou deste artigo sobre Casa Verde e Limão: bons bairros para morar na Zona norte de São Paulo? Não perca tempo e compartilhe-o em suas redes sociais!

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

spot_imgspot_img
spot_img

OUTROS DESTAQUES:

Open chat
Olá, seja bem-vindo(a) ao portal CENSURA ZERO!
-Faça seu cadastro para receber Boletins Informativos em Transmissão pelo WhatsApp e autorizar o envio de notícias!
-É simples, rápido e seguro, nos termos da nossa Política de Privacidade, disponível no site.
-Deixe seu NOME COMPLETO e a CIDADE onde mora!
Obrigado e volte sempre!