CENSURA ZERO requer documentação à Câmara de São Mateus contra fake news institucionalizadas e espaço para debater o tema com Vereadores

256

O portal CENSURA ZERO formalizou na tarde desta segunda-feira (22/02), às 13h43, os requerimentos ao Presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, para o fornecimento de relatório de documentação para ação de combate a fake news institucionalizadas em São Mateus e a cessão de espaço na sessão desta terça-feira (23/02) para debater o tema com os Vereadores. O ato de protocolo dos dois pedidos foi feito pelo Diretor de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO, jornalista André Oliveira.

“A situação está sendo tratada por nós com muita tranquilidade. Conforme já adiantamos em Nota Pública na sexta-feira (19/02), nosso objetivo é evitar que as notícias falsas produzidas e distribuídas pelo sistema criminoso que assessora a Prefeitura de São Mateus, contra cidadãos de bem, autoridades e jornalistas, ganhe adeptos no Poder Legislativo de São Mateus sem o devido contraponto. Houve um discurso em tom intimidatório feito pelo presidente Paulo Fundão na sessão de quinta-feira (18) e não podemos deixar esses assuntos nocivos à Comunidade Mateense prosperarem no local que deve ser usado exatamente para fiscalizar, combater e até punir esse tipo de postura do Executivo. Não queremos definir a pauta do Legislativo; longe disso. Mas não podemos ficar calados diante da situação”, afirmou André Oliveira.

Em um dos documentos, o jornalista requer ao Presidente da Câmara de São Mateus “a devida apuração pelos setores competentes deste Poder Legislativo de todas as contratações de empresas jornalísticas/veículos de comunicação realizadas, de forma direta ou por meio de agência de publicidade no período de 2017 a 2020, constando razão social das empresas e nomes fantasias dos veículos de comunicação, detalhamento dos serviços prestados com datas/períodos e respectivos valores financeiros pagos, com os respectivos documentos comprobatórios”.

Além disso, o Diretor de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO requer que, “concluído o relatório, todos os dados sejam tornados públicos e disponibilizados por esta Casa de Leis para o conhecimento e o entendimento de toda a Comunidade Mateense”.

Em outro requerimento, o jornalista André Oliveira solicita espaço no Pequeno Expediente da Sessão Ordinária desta terça-feira (23/02), “para que, na condição de Diretor de Jornalismo e Conteúdo do portal CENSURA ZERO, possa fazer uso da Tribuna Popular, para proferir pronunciamento sobre o tema ‘Papel Social do Jornalismo Profissional e o Combate/Enfrentamento a Fake News Institucionalizadas em São Mateus'”. Os dois requerimentos aguardam, agora, deferimento do presidente do Legislativo, Paulo Fundão.

“A credibilidade é a nossa matéria-prima. Por diversas vezes, tentaram denegrir a nossa imagem, assim como fizerem e fazem com autoridades e cidadãos de bem de São Mateus e do Espírito Santo. Vasculham a minha vida diariamente, buscando motivos para atacar a mim e à equipe do CENSURA ZERO; já tentaram encontrar vínculos de familiares meus com a Prefeitura de São Mateus, mas não encontraram nada para nos chantagear, porque não tem. Vivemos uma vida simples, honrada. Moro há quase 30 anos em São Mateus e cheguei aqui no Dia do Trabalho (1º de maio de 1991). Vim para trabalhar na minha profissão de Radialista e, depois, como Jornalista. Faço o que eu gosto e por vocação, pela misericórdia do Senhor Jesus Cristo. Foi Ele quem me deu o dom. Minha atuação em rádio, televisão, jornal impresso, assessoria de comunicação e, agora, na Jornalismo Online, é marcada pela seriedade, honestidade, transparência e responsabilidade. Nunca precisei pegar nada de ninguém; não seria agora, aos 48 anos de idade e com quatro filhos para dar exemplo”, destaca André Oliveira.

INSINUAÇÕES E TOM INTIMIDATÓRIO

André Oliveira cita que já foi vítima de ataques e está processando o (ir)responsável por calúnia, difamação, injúria, intolerância religiosa e racismo. “A nova fake news que parte do porta-voz do prefeito Daniel Santana, com a complacência do Chefe do Executivo, faz referência de forma criminosa às relações da empresa responsável pelo CENSURA ZERO com a gestão anterior da Câmara Municipal. E o Presidente, em discurso, fez insinuações sobre isso em tom intimidatório. Temos que reagir contra essa situação”, acrescentou.

Jornalista e radialista com 31 anos de serviços prestados, André Oliveira diz que a decisão de desenvolver com independência o papel social do Jornalismo Profissional tem causado muito incômodo em São Mateus, principalmente por denunciar a parceria criminosa da Secretaria Municipal de Comunicação Social com a rede de páginas Boca no Trombone, comprovadamente produtora e distribuidora de fake news.

“Há autoridades que estão no poder que não querem ver publicadas reportagens que as chamam à responsabilidade ou cobram comportamento, postura e posicionamentos a partir de fatos de interesse social e demandas comunitárias. Nós fazemos isso, em reportagens, nas colunas e em Editoriais, tornando públicas a opinião e a visão do veículo de comunicação. Abordamos assuntos de forma contundente, porque o CENSURA ZERO tem autonomia editorial”, salienta André Oliveira, reafirmando que a linha editorial incentiva a liberdade de expressão com responsabilidade e faz a defesa da Liberdade de Imprensa.

ENTREVISTA

Sem receber respostas a demandas anteriores, o Diretor de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO, André Oliveira, renovou nesta segunda-feira (22/02), a solicitação de entrevista com o presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão.

O pedido foi feito pessoalmente ao secretário de Comunicação da CMSM, o agricultor e ex-vereador Paulo Chagas, que prometeu despachar a solicitação com o presidente do Legislativo.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!