Criminosos espalham fake news contra advogado, empresários e políticos de São Mateus e Conceição da Barra

624

Um grupo criminoso que atua nas redes sociais produzindo e espalhando constatadas fake news (notícias falsas) sobre autoridades e cidadãos de bem voltou a agir esta semana em São Mateus. Com as mesmas características do caso envolvendo o professor Carlos Magno Alhakim Figueiredo, o Maguinho, as novas fake news espalhadas nas redes sociais e grupos de WhatsApp envolvem um advogado, empresários e políticos de São Mateus e Conceição da Barra.

Uma das vítimas da vez é o conceituado advogado Paulo Fundão, de São Mateus. Ele tornou-se alvo de malfeitores da internet ao publicar em seu perfil no Facebook um vídeo ao lado do presidente da Câmara de Conceição da Barra, Mateusinho Vasconcelos, no qual, durante visita ao Senado Federal, são apresentados pelo senador Fabiano Contarato e saudados pelo presidente da Casa, Davi Alcolumbre.

“Paulo Fundão é pago pelo presidente da Câmara de São Mateus e de Conceição da Barra. Os dois estão tentando entrar nas prefeituras na marra. São Mateus é Jorginho Cabeção e em Conceição da Barra Mateusinho”, afirma a fake news compartilhada por, inicialmente, dois números de WhatsApp em grupos diferentes, acompanhada do vídeo do senador Contarato.

Outra postagem traz a fake news: “Advogado mercenário Paulo Fundão recebe dinheiro de presidente da Câmara de São Mateus e Conceição da Barra para influenciar nas cassações de Chicão e Daniel. Está em Brasília com tudo pago por Natan, Freitas e Amadeu Boroto”. O CENSURA ZERO recebeu prints de seis grupos de WhatsApp e de um perfil de Facebook que compartilharam a fake news [veja reproduções anexas à matéria].

INTERNAUTAS APONTAM SUSPEITOS

Os prints foram enviados por internautas ao CENSURA ZERO por internautas participantes desses grupos. Destacam que os posts foram feitos por números impostores (27 99581-2347 e 27 99573-9150), os chamados fakes, que são criados e usados comumente para a prática de delitos e crimes. Um blogueiro e um radialista são apontados por internautas de serem os usuários desses números criminosos.

O CENSURA ZERO repercutirá o assunto em outras reportagens ao longo desta quinta-feira (17/10), inclusive ouvindo o posicionamento das vítimas dessas fake news quanto a providências cabíveis a serem tomadas junto à Polícia Civil e à Justiça.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!