EDITORIAL – Covid-19 avança em São Mateus: Gestão Daniel mostra-se desarticulada; entidades sociais se omitem no ‘isolamento da inércia’

1033

É muito triste e bastante preocupante o cenário atual em São Mateus com relação à pandemia do novo coronavírus. Nesta quinta-feira (7/05), o Município passou a contabilizar 43 casos confirmados de Covid-19, um aumento de 26,5% em relação a quarta-feira (6), que teve 34 casos registrados. Foram nove confirmações em 24 horas, o recorde desde o início do enfrentamento. Além disso, há 132 casos suspeitos, 83 foram descartados e houve o registro de 22 pessoas curados e 1 óbito dentre os 258 casos notificados.

Com um dos menores índices de isolamento social no Espírito Santo, São Mateus tem apresentado muita aglomeração nas ruas, especialmente no Centro da Cidade, com o retorno do comércio e as filas para atendimento bancário, especialmente na Caixa. Bares já estão funcionando, inclusive à noite, e, apesar do maior uso de máscaras entre as pessoas, falta maior presença do poder público municipal, para agir além da assinatura de decretos sem mecanismos definidos de fiscalização e conseguir eficácia nas medidas determinadas. Vale lembrar que os pacientes com a confirmação de covid-19 são oriundos de 21 bairros diferentes de São Mateus.

Se em nível nacional, Governadores e Prefeitos esbarram na falta de uma liderança estadista do Presidente Jair Bolsonaro para medidas efetivas no enfrentamento à pandemia, em São Mateus, a população circula e age um tanto desorientada, movida por uma gestão municipal adepta de ações práticas improvisadas. A Prefeitura mostra-se desarticulada internamente e sem o apoio também de entidades sociais que deveriam estar mais presentes, ajudando a resolver os problemas que afligem o Povo Mateense nesse momento difícil!

O que constatamos de ações eficazes nessa etapa do enfrentamento à pandemia é pouco para um município que está em situação de calamidade pública há 38 dias e esteve outros 13 em emergência. A Prefeitura de São Mateus suspendeu as aulas antes do Governo do Estado e foi uma das primeiras a decretar situação de emergência por causa do coronavírus, em 18 de março. No dia seguinte, o prefeito Daniel saía com alguns vereadores em cima de um carro de som pela Cidade, alertando sobre os cuidados para evitar a contaminação. Ele decretou calamidade em 31 de março e, 16 dias depois, estendia a vigência de 31 de julho para 31 de dezembro. Aliás, é o único Município no Espírito Santo com esse encaminhamento.

Circulando pela Cidade, uma afirmação é recorrente: São Mateus precisa de mais atitude do prefeito Daniel Santana, que alegou em decreto “a necessidade de promoção de ações emergenciais para prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública, a fim de evitar a disseminação da doença e a necessidade de adoção de medidas orçamentárias imprevistas para o enfrentamento da pandemia provocada pelo novo coronavírus”.

INFORMAÇÃO E ORIENTAÇÃO

A falta de informação oficial segura e de orientação aos moradores neste momento é outro grande problema da administração municipal. O prefeito Daniel não recorre aos veículos de comunicação para clarear as determinações dos decretos, inclusive com referência aos servidores municipais; o Secretário Municipal de Saúde não dá coletivas à imprensa para orientar procedimentos aos moradores; a estrutura oficial de comunicação é usada apenas para contabilizar as notificações diárias.

Constata-se um esforço constante em camuflar os problemas da gestão, como ocorreu com a distribuição das cestas básicas. Uma chuva de reclamações no início; alguns ajustes depois e a insistência em submeter famílias da periferia passando fome a critérios rígidos de Assistência Social. Sem falar na exposição de ter que tirar fotos e até apresentar Título Eleitoral, como expuseram moradores em denúncias. O prefeito Daniel Santana precisa mostrar sua capacidade de liderança nesse momento e articular as Secretarias Municipais! Afinal, estamos ou não em CALAMIDADE PÚBLICA?

Como está a distribuição das cerca de 30 mil cestas básicas licitadas? A última informação oficial falava em distribuição de 10 mil na segunda quinzena de abril! Cadê a prestação de contas dos recursos do Fundo Municipal de Combate à Covid-19? Como foram utilizados os R$ 200 mil devolvidos pela Câmara Municipal? A conta bancária da Prefeitura de São Mateus arrecadou quanto?

E os recursos para gastos emergenciais? Como está a distribuição das 50 mil máscaras adquiridas? As redes sociais revelaram resistência por causa da fake news das máscaras da China. Por que não é feita uma campanha de esclarecimento e orientação à população? Como está funcionando o sistema de saúde municipal? Por que moradores reclamam da ausência de sintonia da rede municipal com os hospitais privados e o Hospital Roberto Silvares?

E, se há falhas a serem corrigidas no poder público nesse momento tão grave, é triste constatar que as entidades sociais com capacidade de articulação sumiram e estão se mantendo em completo “isolamento de inércia”! A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) precisa ajudar a Prefeitura a organizar o comércio e conscientizar os clientes. Não se tem notícias de nenhuma ação do Sindicomerciários de São Mateus, do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, do Sindicato Rural…

A propagada Abavam, que movimenta milhões nas festas em parceria com a Prefeitura de São Mateus. Cadê o apoio nesse momento a vendedores ambulantes e barraqueiros associados? Qual tem sido a contribuição da Associação dos Empresários do Litoral Norte (Assenor), tão importante no contexto socioeconômico de São Mateus e região? Vemos apenas o Sindserv mobilizado.

A despeito da oportunidade da grande quantidade de recursos liberada aos Estados e Municípios para gastos com dispensa de licitação, o Povo Mateense não pode continuar a mercê da indefinição do Presidente da República sobre o enfrentamento à Covid-19, em meio a questões políticas; e não pode sobrecarregar o Governador, que já tem enfrentamentos maiores com o grave quadro da doença na Grande Vitória!

Antes até de apontar para a economia e o direito de ir e vir dos cidadãos, lembremos que São Mateus ainda chora a perda de uma vida. Um despertamento conjunto agora é necessário e fundamental para evitar que outras famílias passem pela mesma dor!

….

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!