Filho mata mãe a marteladas e confessa crime à polícia no Sul do ES

87

Um homem de 28 anos procurou a Delegacia da Mulher em Cariacica, na Grande Vitória, nesta quarta-feira (7/11) para informar que havia matado a própria mãe, em Piúma, litoral sul do Espírito Santo. Ao apurar o relato, a Polícia Civil encontrou dois corpos: o da mãe do assassino e o de uma idosa acamada, que vivia sob os cuidados dela, que teria morrido por falta de alimentação.

De acordo com o titular da Delegacia de Piúma, David Santana, o acusado Ulisses de Almeida, de 28 anos, é morador de Cariacica e teria ido até o balneário para passar uns dias com a mãe, a cuidadora de idosos Carmem dos Santos. O crime teria sido cometido na madrugada de segunda-feira (4/11).

“Ulisses procurou a Delegacia da Mulher e disse que fez uma besteira, matando a mãe. Investigadores foram até o local e encontraram a casa onde a cuidadora trabalhava. Do lado de fora já sentiram forte odor”, contou.

CRUELDADE

A cena do crime deixou até mesmo o delegado impressionado. “Havia marcas na cabeça de marteladas, ele ainda a enforcou com o cinto e cortou o pescoço… Uma cena que choca pela crueldade como foi executada. Demonstra muito ódio dessa mãe”, revela Santana.

A outra vítima, identificada por Valdete Maria Cordeiro de Farias, é acamada e dependia dos cuidados de Carmem para viver. A polícia acredita que ela tenha morrido de fome e por falta de cuidados.

Na Delegacia de Cariacica, onde o assassino confesso foi ouvido, ele contou que não tinha relação próxima com a mãe biológica e que foi adotado na infância. “Ela contou que foi abandonado para adoção novo e guardou mágoa da genitora. Ele tinha envolvimento com tráfico de drogas e passagens por outros crimes”, contou o delegado.

DUPLO HOMICÍDIO

Ulisses de Almeida foi autuado por duplo homicídio e, após ser ouvido, será encaminhado ao Centro de Triagem de Viana. Em seguida, será pedida a transferência dele para o Centro de Detenção Provisória de Marataízes.

A perícia foi acionada e os corpos serão encaminhados ao Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: A GAZETA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!