Fundo de Proteção ao Emprego possibilita preservação de mais de 1.000 postos de trabalho no ES

179

Mais de 1.000 postos de trabalho foram mantidos ou gerados por empresas que buscaram o apoio do Fundo de Proteção ao Emprego no Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes). O levantamento feito pelo banco capixaba mostra que, com os recursos, muitos empresários de micro, pequeno e médio portes de vários setores não precisaram demitir e alguns deles até contrataram novos empregados.

“Com a pandemia, muitos empreendimentos tiveram substancial e justificável preocupação com a manutenção do emprego e da renda dos funcionários”, explica o diretor-presidente do banco capixaba, Munir Abud de Oliveira. Uma das medidas adotadas pelo Governo do Espírito Santo, como forma de mitigar esses impactos, foi a criação do Fundo de Proteção ao Emprego, que tem dado bons resultados desde o início da sua operação.

Atualmente, o Bandes está analisando cerca de 250 propostas de financiamento para o Fundo. Outros R$ 62 milhões em propostas estão nas fases de aprovação, contratação ou já liberados pelo banco capixaba.

“Como uma medida de enfrentamento dos impactos na economia, o regulamento do Fundo de Proteção ao Emprego estabelece que as empresas que financiarem valor igual ou superior a R$ 500 mil devem assumir o compromisso de manutenção do número de empregos, pelo prazo de seis meses a partir da liberação dos recursos. Essa é uma das principais premissas do Fundo”, esclarece Munir Abud.

COMPETITIVIDADE DA ECONOMIA

Para o diretor de Negócios Marcos Kneip Navarro, os bancos de desenvolvimento, como o Bandes, cumprem a missão de atuar para a competividade da economia por meio de programas de financiamento em momentos importantes como o que estamos vivendo. Ele destaca que os financiamentos atendem a áreas como indústria, comércio, serviços, agropecuária, cultura, mercado de capitais, meio ambiente, infraestrutura, inovação, exportação e até para a área social.

“Um dos principais objetivos do Bandes é contribuir para acelerar o desenvolvimento sustentável do Estado em todas as suas microrregiões. Para isso, o banco oferece aos empresários alternativas de crédito que proporcionem, ao mesmo tempo, a criação de emprego e renda, a modernização dos processos produtivos e da infraestrutura”, destaca.

A linha do Fundo de Proteção ao Emprego é destinada ao financiamento de capital de giro, ou seja, são recursos que financiam a continuidade das operações da empresa, com prazo de até 72 meses, incluído prazo de até 12 meses de carência, e com correção apenas pela taxa Selic.

Para acessar o crédito, o interessado deve entrar no site do Bandes e preencher um formulário que será remetido à instituição para cadastro e análise, a partir do início das operações da linha.

Informações sobre linhas de financiamento:
www.bandes.com.br/emergencial
faleconosco@bandes.com.br

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!