Lideranças políticas e comunitárias de Ecoporanga reivindicam retomada das obras da BR-342

1117
DIVULGAÇÃO - No Espírito Santo, o projeto de implantação da BR-342 inclui Ecoporanga, Vila Pavão, Nova Venécia e Jaguaré, mas há trechos ainda não implantados, o que emperra o desenvolvimento macrorregião.

Lideranças políticas e comunitárias de Ecoporanga reivindicam a retomada das obras da BR-342, considerada uma importante ferramenta para o desenvolvimento da macrorregião que compreende o extremo-norte do Espírito Santo, o sudoeste da Bahia e o nordeste de Minas Gerais.

A comunidade de Ecoporanga reconhece que a obra poderia ter sido retomada no ano passado, mas “não houve muito esforço político do então governador Paulo Hartung e da bancada capixaba junto ao Governo Federal”.

As obras do trecho da BR-342, que passa por Ecoporanga, estão paradas desde 2003 (Governo Lula).

No trecho capixaba, a rodovia federal passa pelos municípios de Ecoporanga, Vila Pavão, Nova Venécia e Jaguaré.

“Lamentavelmente, foi parada no início de 2003 (governo Lula)”, recorda o ex-vereador Izaías Ramos.

Junto com outras lideranças políticas, ele faz um apelo ao atual governador Renato Casagrande para que busque as condições necessárias para a retomada e conclusão das obras da BR-342, frisando que a “rodovia será de suma importância para o desenvolvimento do Norte do Espírito Santo”.

RODOVIA DIAGONAL

A BR-342 é uma rodovia diagonal, que liga Carinhanha, no sudoeste da Bahia, a Linhares, no centro-norte do Espírito Santo, passando pelo nordeste de Minas Gerais. Ainda possui vários trechos não pavimentados ou não implantados; poucos trechos são pavimentados.

Segundo o jornalista Paulo César Dutra, no Estado da Bahia, a rodovia possui 61,2 quilômetros de extensão dos quais 60,1 estão planejados e o restante está pavimentado.

A comunidade de Ecoporanga apela ao governador Renato Casagrande para que busque as condições necessárias junto ao Governo Federal para a retomada das obras da BR-342.

“Em Minas Gerais, são 543,8 quilômetros que incluem um trecho pavimentado em Araçuaí, compartilhado com a BR-367 e outro que liga Catuji a Teófilo Otoni, ao longo da rodovia Rio-Bahia. No Espírito Santo, são 233,4 quilômetros dos quais são pavimentados 20, entre a ES-220 e a ES-130, e o trecho final, entre Sooretama e Linhares, que coincide com a BR-101”, detalhou.

Paulo César destaca também que há informações de que a senadora Rose de Freitas conseguiu destinar R$ 230 milhões no Orçamento Federal de 2019, para custear a implantação de 80 quilômetros da rodovia federal no trecho capixaba.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!