NOTA DE ESCLARECIMENTO – Ameaças ao trabalho jornalístico do CENSURA ZERO

610

O portal CENSURA ZERO vem a público esclarecer e reafirmar que é um Veículo de Comunicação devidamente constituído com atuação no Jornalismo Profissional. Portanto, com legitimidade, nossa equipe de profissionais e nossa linha editorial adotam postura ética, moral e de respeito aos direitos individuais e coletivos, com trabalho que utiliza e incentiva a liberdade de expressão com responsabilidade. Combatemos a produção e a distribuição de fake news e a desinformação na internet e nas redes sociais, dando nossa contribuição para um ambiente virtual (e físico) saudável e justiça social.

A atuação jornalística independente, com as prerrogativas citadas, permite a produção de reportagens próprias de conteúdo público que, às vezes, desagrada a setores da sociedade, principalmente no âmbito da administração pública. Especialmente em São Mateus, onde está a nossa sede, esse trabalho é mais efetivo; e, com ele, chega o descontentamento injustificado com a divulgação de informações e dados, gerando retaliações da gestão municipal e de alguns de seus apoiadores.

Todo veículo que adota tal linha editorial deve estar preparado para essas manifestações contrárias, consideradas normais no Estado Democrático de Direito. No entanto, tem chegado em maior número à Direção de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO apelos com tons de ameaça e a recepção hostil, pessoalmente e nas redes sociais, às reportagens feitas com base em documentos publicados no Portal de Transparência da PMSM e no Diário Oficial do Estado do Espírito Santo. Muitas dessas ameaças são devido à publicação de dados sobre contratação de empresas para estrutura de festa e de shows.

Esclarecemos que o objetivo da produção/publicação das matérias não é outro senão cumprir o dever de informar ao nosso público leitor internauta, que é a nossa função profissional e o direito mútuo (nosso e do público) de acesso a informação, garantido pela Constituição Federal. Em nenhum momento houve referência direta a qualquer banda ou cantor(a), nem mesmo a empresa contratante de shows. Até porque são noticiadas informações públicas consolidadas a partir do Diário Oficial, o que reforça exatamente um dos princípios da administração pública: a publicidade dos atos.

A Direção de Jornalismo e Conteúdo destaca que a Equipe do CENSURA ZERO está sempre aberta ao diálogo e ao entendimento em relação a todo material que produz e publica. Todavia, os atos de desrespeito profissional descabidos e os ataques pessoais serão comunicados às autoridades policiais, acompanhadas das providências pertinentes no âmbito da Justiça.

ANDRÉ OLIVEIRADiretor de Jornalismo e Conteúdo

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!