Nota de Repúdio à fala, à postura e ao comportamento do Presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, na sessão de 2 de março de 2021

652

A Direção da empresa VISÃO ATALAIA EDITORA, COMUNICAÇÃO E PRODUÇÕES EIRELI, responsável pelo veículo de comunicação CENSURA ZERO, vem a público REPUDIAR, COM VEEMÊNCIA, a fala, a postura e o comportamento do Presidente da Câmara de São Mateus, Vereador Paulo Fundão, na sessão ordinária realizada na terça-feira (2/03), com atos que expressam covardia, maldade, mentira e injustiça.

Paulo Fundão, que já havia feito pronunciamento com tom intimidatório à Imprensa no dia 18 de fevereiro, apresentou duplo comportamento nas sessões ordinárias do dia 23 de fevereiro de 2021 (com a presença do Diretor de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO, Jornalista e Radialista André Oliveira, para destacar o tema O Papel Social do Jornalismo Profissional e as Fake News Institucionalizadas em São Mateus – Um Exercício de Cidadania) e do dia 2 de março de 2021 (com a presença do Porta-voz do Prefeito e Representante da parceria entre a Secretaria Municipal de Comunicação e o Portal Boca no Trombone).

Na presença do Diretor do CENSURA ZERO, em fala ao final do pronunciamento, Paulo Fundão na referência direta ao Jornalista André Oliveira afirmou: “Eu lhe agradeço pela sua lhaneza, fidalguia diante da tribuna; e nós estamos sempre aqui. (…) Nós, Vereadores, solicitamos, humildemente a Você, que utilize o dispositivo do Regimento Interno desta Casa, protocole esta denúncia com essas provas, que nós, aí sim, provocados por instrumentos hábeis, nós(sic) iremos nos debruçar; mas traga provas concretas que nós iremos dar provimento a essa sua fala”.

Já na presença do Porta-voz do Prefeito, também em fala ao final do pronunciamento, assumiu postura submissa: (…) fui pego de forma equivocada na semana pretérita, porque eu já havia anunciado que nessa tribuna, só iria usar quem fosse de lhaneza, de fidalguia, e ocorreram acusações, que nós demos essa oportunidade, apesar de regimentalmente, deixei bem claro, não estava atendido, porém fiz um desafio, disse-lhe: traga as provas e protocole. Nada foi protocolado. Nada foi protocolado. Conforme disse, da tribuna o Sr. Dilton Pinha, a única preocupação que eu tenho é que, se existe(sic) pessoas propagando e financiando esses ataques à Câmara. Isso me preocupa, porque nós(sic) estamos em busca do melhor pra São Mateus.

Fica evidenciado que o Presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, que é Advogado e gosta de abusar do juridiquês em suas falas e pronunciamentos, precisa dar mais importância às palavras no exercício da Vereança e à frente da Mesa Diretora do Poder Legislativo. Na sessão de 23 de fevereiro, em nome de todos os Vereadores, conforme reforçou, ele fez ‘uma solicitação‘, orientando o ‘protocolo da denúncia’, depois da intervenção do Jornalista André Oliveira que fez menção à publicação de post de um ex-aliado do Prefeito direcionado a autoridades (inclusive políticos com mandato) e jornalistas em grupo de WhatsApp destacando que o Chefe do Executivo é o comandante do sistema criminoso da parceria Secretaria Municipal de Comunicação e rede de páginas de Facebook e grupos de WhatsApp Boca no Trombone. Já na sessão do dia 2 de março, diante do Porta-voz do Prefeito, alegou que foi “pego de forma equivocada” e afirmou ter feito “um desafio”.

Com uso da imunidade parlamentar e com as prerrogativas da Presidência da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão demonstrou exatamente a falta de “lhaneza e fidalguia”, ao aderir a uma fake news institucionalizada com a fala: Conforme disse, da tribuna o Sr. Dilton Pinha, a única preocupação que eu tenho é que, se existe(sic) pessoas propagando e financiando esses ataques à Câmara. Isso me preocupa, porque nós(sic) estamos em busca do melhor pra São Mateus. São insinuações covardes, maldosas e mentirosas, incompatíveis com o exercício das nobres funções de um Vereador, porque busca dar recado indireto, velado, a Munícipes que ele conhece e não tem coragem de declarar em público. Em contrapartida, adota postura associativa ao Porta-voz do Prefeito e tenta desqualificar Reportagens Jornalísticas elaboradas na prerrogativa da liberdade de expressão com responsabilidade e na Liberdade de Imprensa, por veículo de comunicação legalmente constituído, e por Profissional Jornalista devidamente identificado, como determinam os preceitos constitucionais. Paulo Fundão adota postura bastante diferente da que tinha antes de se tornar Vereador, quando tecia elogios ao trabalho do Jornalista André Oliveira, tendo inclusive, na condição de Advogado, compilado links de matérias do PORTAL SBN-ES (no qual o Jornalista atuou anteriormente) e do CENSURA ZERO para embasar sua atuação profissional.

Passivo e acovardado, o Presidente da Câmara de São Mateus, juntamente com os demais parlamentares, assistiu ao Porta-voz criminoso contumaz, de forma boçal, afirmar, entre outras aberrações, até que André Oliveira “não é jornalista”. Mas a atitude causa estranheza e espanto porque Paulo Fundão já comprovou o exercício de André Oliveira como Profissional Jornalista, até tirando proveito dele. (matéria 1) (matéria 2). André Oliveira é Radialista Profissional desde 1990 e Profissional Jornalista registrado desde 2003, com serviços prestados em rádio (em todas as funções dos setores Locução e Produção), televisão (apresentador, editor e repórter), jornal impresso (repórter especial, editor-adjunto, editor e diretor de jornalismo), revista (editor e diretor de jornalismo), assessoria de comunicação e jornais online (repórter, editor e diretor de jornalismo e conteúdo). Atua em São Mateus e outras cidades do Espírito Santo desde 1991. É casado e pai de quatro filhos nascidos em São Mateus, cidade que escolheu para viver e exercer suas atividades de trabalho.

A memória de Paulo Fundão é curta, mas o CENSURA ZERO, que ele acusa agora movido por interesses inconfessáveis, foi o único veículo de comunicação que denunciou, por decisão editorial, em 17 de outubro de 2019, episódio em que, como advogado, ele foi vítima do sistema criminoso de comunicação com o apoio do Poder Executivo. O título da matéria foi Criminosos espalham fake news contra advogado, empresários e políticos de São Mateus e Conceição da Barra. Parte do texto da fake news institucionalizada afirmava: “Paulo Fundão é pago pelo presidente da Câmara de São Mateus e de Conceição da Barra. Os dois estão tentando entrar nas prefeituras na marra”. (veja aqui)

Sem empatia com as inúmeras vítimas de fake news em São Mateus e no Espírito Santo, o Presidente Paulo Fundão permitiu que seu outrora algoz fizesse a divulgação em plenário de material acusatório sobre gastos com publicidade da própria Câmara de São Mateus na gestão anterior, mas não deu transparência aos demais Vereadores e ao Público que acompanhava a sessão ordinária pelo Facebook sobre a tramitação de requerimento feito pelo CENSURA ZERO para a produção de relatório de todos os gastos com publicidade e publicação de atos oficiais do Poder Legislativo no período de 2017 a 2020, com solicitação de abertura dos dados à Comunidade Mateense de forma clara e direta. Não é o comportamento republicano que se espera da atuação de um comandante de Parlamento no Estado Democrático de Direito!

Totalmente relaxado das suas prerrogativas de Presidente da Mesa Diretora, Paulo Fundão chegou ao cúmulo de “bater bola” em intervenções ao ocupante da tribuna endossando acusações rasteiras sobre os gastos com publicidade no mês de dezembro de 2020, contribuindo para a Câmara de São Mateus ter a imagem denegrida por um criminoso contumaz apenas para fazer referência pejorativa à composição da Legislatura passada! Aliás, outra mudança no comportamento de Paulo Fundão, que já enalteceu publicamente, e por meio do CENSURA ZERO, ex-Vereadores e o ex-Presidente do Poder Legislativo! (veja aqui)

O que o Porta-voz do Prefeito e o Presidente da Câmara de São Mateus apelidam de “ataques à Câmara” são, na verdade, reportagens elaboradas dentro do papel social do Jornalismo Profissional que o CENSURA ZERO produz porque tem autonomia editorial. Não temos procuração de ex-Vereadores nem de empresários ou outras pessoas para defendê-los. Se ofendidos, buscarão a devida reparação por meios próprios. Mas o CENSURA ZERO tem um compromisso com a Sociedade de São Mateus, do Espírito Santo, do Brasil e do Mundo, porque atuamos no Jornalismo Online com alcance em todo o Planeta! A empresa publicadora do CENSURA ZERO gera empregos diretos e indiretos, renda e produção intelectual em São Mateus e no Espírito Santo. Nosso interesse no desenvolvimento econômico, social e cultural do Município e do Estado jamais serão trocados por um contrato de publicidade, um emprego, um valor repassado por fora ou algum interesse cruzado. Nem nos curvaremos ao rompante arbitrário de quem se senta numa cadeira de vida útil limitada com ares de estar herdando um trono de país adepto de ditadura!

Publicamos, por exemplo, a matéria GRAVÍSSIMO! – Câmara de São Mateus infringe Constituição Federal e quebra princípios da Comunicação Pública; fonte afirma que “foi para agradar Prefeito”, mas Assessor diz que fake news envolvendo o Poder Executivo “não é assunto relevante” (veja), destacando uma medida autoritária sem precedentes na história do Legislativo Municipal. A Secretaria de Comunicação do Legislativo Mateense omitiu da publicação nos veículos de comunicação e redes sociais oficiais da CMSM o material institucional referente ao pronunciamento do Diretor de Jornalismo e Conteúdo do CENSURA ZERO, na sessão ordinária de terça-feira (23/02). Tudo porque envolvia assunto desfavorável ao Prefeito, reverenciado pelos edis, mesmo diante da sofrível capacidade de articulação política, comunitária e institucional.

Como se não bastasse, em outro ato de desobediência à Constituição Federal e quebra das normas da Comunicação Pública, a Secretaria de Comunicação da Câmara de São Mateus aliou-se ao Poder Executivo para potencializar a defesa do Poder Executivo. O Assessor de Imprensa da Secom-CMSM compartilhou em grupos de Facebook o vídeo da sessão ordinária de terça-feira (2/03), com a participação do Porta-voz do Prefeito. Isso não foi feito com o vídeo da sessão do dia 23/02, que teve a participação do Diretor do CENSURA ZERO. E, na sessão ordinária de 2 de março, o Presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, chegou a afirmar que dava como encerrado, na Casa de Leis, o debate sobre o assunto fake news institucionalizadas com apoio do Poder Executivo. Na transmissão em vídeo é uma postura, fora dela rasgam os direitos constitucionais individuais e coletivos dos Cidadãos e pisoteiam a Lei de Acesso à Informação. Tudo isso numa cidade de mais de 130 mil habitantes!?

Por fim, a despeito de tudo o que foi relatado no pronunciamento O Papel Social do Jornalismo Profissional e as Fake News Institucionalizadas em São Mateus – Um Exercício de Cidadania e na repercussão do assunto na sociedade de São Mateus, a fala, o comportamento e a postura de Paulo Fundão, reforçando fake news institucionalizadas do Porta-voz do Prefeito, são carregados de injustiça, passíveis de espontânea retratação pública por autoridade humilde. Primeiro, porque o ex-Diretor Comercial do CENSURA ZERO, Eduardo Ferreira, ser humano extraordinário, profissional probo e excelente publicitário, hoje é o responsável pelas transmissões ao vivo da Câmara de São Mateus, contratado pelo próprio Paulo Fundão, e teve que registrar, creio que com desprazer, um dos piores momentos de toda a história do Legislativo Mateense. Segundo, porque, por decisão editorial de cobertura jornalística, o CENSURA ZERO é o veículo de comunicação de São Mateus que mais publicou matérias (em texto, fotos e vídeos) sobre a atuação da Câmara de São Mateus na atual Legislatura, destacando indicações, moções e pronunciamentos dos Vereadores na tribuna. E com aproveitamento em vídeo mais destacado do que o da própria Secretaria de Comunicação da CMSM! Algumas dessas reportagens foram compartilhadas por assessores e apoiadores de Paulo Fundão e outros Vereadores.

Ao dar crédito ao Prefeito e a seu Porta-voz criminoso, na fatídica sessão ordinária de 2 de março de 2021, o atual Presidente da Câmara de São Mateus e outros Vereadores avalizaram a postura abominável de desconstruir a imagem de cidadãos de bem, profissionais, autoridades dos mais diversos setores e instituições que integram a lista crescente do sistema criminoso de comunicação do Poder Executivo de São Mateus.

Diante da parcialidade constatada, do incômodo provocado nos Vereadores e da comprovada contaminação dos “Representantes do Povo de São Mateus”, o CENSURA ZERO não mais protocolará os documentos solicitados pelo Presidente Paulo Fundão na Câmara de São Mateus, centralizando esforços junto à Polícia Civil, Ministério Público do Estado do Espírito Santo e Poder Judiciário. Mas, acima de tudo, cremos na Justiça de Deus. O Justo Juiz atende apenas ao Advogado Fiel, que é a Verdade!

Que o Presidente da Câmara de São Mateus, Paulo Fundão, os demais Vereadores e o Executivo de São Mateus entendam de uma vez por todas: o CENSURA ZERO ABOMINA PROPINA; NOSSA LINHA EDITORIAL AUTÔNOMA É INEGOCIÁVEL! (veja aqui)

Para este assunto, dispensamos citação de figuras externas. Temos o nosso conceito próprio: Ser constituído como autoridade nesse mundo e não ter a compreensão cristã da responsabilidade no cuidado de vidas (e não apenas a preocupação no trato com as pessoas por interesses), esforçando-se mais por ostentar o poder efêmero que tem, é desprezar o Deus Criador. O homem que se comporta tão diferentemente do que era ao assumir autoridade precisa rever sua postura e seus conceitos enquanto a soberba não o leva a caminhos de volta proibida“.

QUEM NÃO REAGE RASTEJA!

VISÃO ATALAIA, EDITORA, COMUNICAÇÃO E MARKETING EIRELI – A Direção

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!