Petrocity estima perda de R$ 3,1 bilhões com medida do Iema, mas assegura implantação do porto em São Mateus

1271

Durante entrevista à imprensa, na tarde desta terça-feira (21/01) em São Mateus, o diretor-presidente da Petrocity, José Roberto Barbosa da Silva, estimou em R$ 3,1 bilhões o montante que deixa de ser arrecadado com o atraso no início da obras do Centro Portuário de São Mateus (CPSM).

Ele referia-se ao impasse com o Instituto Estadual do Meio Ambiente (Iema), que propôs o indeferimento do Estudo de Impacto Ambiental (EIA-Rima) do processo de licenciamento para a implantação do Porto, em Urussuquara, Distrito de Nativo de Barra Nova.

José Roberto, no entanto, assegurou a construção do porto no litoral mateense, destacando que a Petrocity recorrerá ao Iema e tomará todas as medidas cabíveis para garantir a sequência do cronograma do megaempreendimento.

Confira a entrevista em vídeo exclusivo do CENSURA ZERO:

VEJA TAMBÉM:

Em São Mateus, José Roberto contrapõe Iema e reafirma sustentabilidade do porto da Petrocity: ‘Estado tem obrigação com o empreendedor’

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | PRODUÇÃO E ENTREVISTA: ANDRÉ OLIVEIRA | IMAGENS E EDIÇÃO: EDUARDO FERREIRA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!