PM confirma que Cigano Diego foi assassinado com 4 tiros por dupla em moto; polícia já tem pistas dos autores do crime

2797

A Polícia Militar confirmou que o popular Cigano Diego foi assassinado com quatro tiros por uma dupla que chegou em uma moto para fazer a execução. O registro policial foi feito às 18h53 desta quinta-feira (16/01), na Rua Espera Feliz, próximo à Igreja Nossa Senhora de Fátima, no Balneário de Guriri, em São Mateus. A polícia já tem pistas dos criminosos e as imagens de um sistema de videomonitoramento particular poderão ajudar na identificação dos criminosos.

A ocorrência foi atendida por agentes que faziam o policiamento a pé nas ruas de Guriri. Quando chegaram ao local, a vítima identificada como Eujason Silva Ramos, de 51 anos, já havia sido socorrida e levada para o Hospital Roberto Silvares.

Segundo a PM, uma viatura deslocou-se para o hospital e outra foi até o local do crime para colher informações detalhadas do crime. “Ao chegarmos no hospital, nos deparamos com um pequeno aglomerado de aproximadamente vinte familiares da vítima, sendo uma família de ciganos, alterados e agressivos com o ocorrido”, detalha o boletim de ocorrência.

No local, os policiais identificaram duas testemunhas do crime. A.M.R. relatou aos agentes que estava com Cigano Diego e um outro familiar no interior de um veículo, quando foram abordados por dois indivíduos morenos em uma motocicleta preta.

A testemunha disse que o carona sacou uma arma de fogo e efetuou disparos contra a vítima, fugindo em seguida, em direção ao Guriri Beach. Ainda conforme A.M.R., o condutor da moto estava de capacete branco e camisa branca floral, e o carona, autor dos disparos, vestia uma camisa preta.

PISTAS SOBRE CRIMINOSOS

Os policiais militares registram que receberam informações de que o final da placa da motocicleta preta usada no crime seria 0516 e também foram apontados os responsáveis pelo crime. Os nomes estão sendo mantidos em sigilo para não atrapalhar as investigações.

A PM destaca que Cigano Diego deu entrada no Hospital Roberto Silvares já em óbito, segundo o médico responsável pelo atendimento. “Durante o atendimento, o médico constatou quatro perfurações ocasionadas por projéteis de arma de fogo na região da cabeça, pescoço e ombro; não sabendo informar com precisão se eram
orifícios de entrada ou saída”.

O boletim de ocorrência ressalta que, no local do crime, foram encontradas seis cápsulas
deflagradas de munição calibre .380, que estavam amassadas por conta do trânsito de veículos na rua. Os policiais militares registram que o sistema de videomonitoramento da Star Sat poderá contribuir para a elucidação dos fatos.

AMEAÇADO DE MORTE

O boletim de ocorrência da PM anota outra testemunha oficial do crime L.C.B. Ao chegarem ao Hospital Roberto Silvares, os agentes depararam-se com familiares e amigos de Diego apontando esse homem como “suspeito do crime, já que compareceu ao hospital e estava falando no telefone celular enquanto aguardavam notícias da vítima, levando-os a imaginar que poderia ter deslocado ao hospital para confirmar se o cigano baleado havia morrido”.

Aos militares, L.C.B. declarou que seguia em direção a São Mateus e quase foi atropelado por uma caminhonete em alta velocidade; em seguida, retornou ao local dos disparos para verificar o que havia acontecido. Lá ficou sabendo que a caminhonete estava socorrendo um homem baleado na mesma avenida em que estava.

“Depois, seguiu novamente para São Mateus e, ao passar pelo hospital, avistou uma aglomeração de pessoas no pátio, adentrou para saber o que estava acontecendo e foi abordado pelos ciganos”, relataram os PMs, destacando que, no momento em que tentavam intermediar o conflito, os familiares da vítima ameaçaram a L.C.B. de morte, “dizendo que ele já estava no saco”.

O homem foi conduzido pelos militares para Delegacia Regional de São Mateus, junto com o material apreendido, para prestar declarações sobre os fatos, além de que precisou de proteção policial após ser ameaçado de morte pelos ciganos. A Polícia Militar fez buscas em Guriri e adjacências, mas não conseguiu localizar nenhum suspeito do crime.

VEJA TAMBÉM:

DIEGO CIGANO – Vídeo mostra movimentação em frente ao Hospital Roberto Silvares após ação do atirador em Guriri

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!