Restos mortais encontrados no litoral do Rio de Janeiro não são de seguranças capixabas

89

Em busca pelos dois capixabas, sócios de uma empresa de segurança particular no Rio de Janeiro, equipes da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro encontraram, em Cabo Frio-RJ, restos mortais humanos, que acreditavam ser dos seguranças Éder Henrique de Moura Teixeira, de 32 anos, e Luiz Paulo dos Santos França, de 30.

De acordo com o laudo da Polícia Civil do Rio de Janeiro, foi constatado que os corpos encontrados não são dos seguranças particulares, sequestrados na cidade do litoral fluminense. Ainda segundo às autoridades, as buscas vão continuar até que Éder Henrique e Luiz Paulo sejam encontrados. 

Por meio de nota, as autoridades informaram que “esse compromisso dos policias civis e militares de Cabo Frio, além dos bombeiros militares, é um símbolo de respeito aos familiares das vítimas, além de nosso dever funcional”.

O CRIME

Três homens, sócios de uma empresa de segurança particular no Rio de Janeiro, entre eles dois capixabas, moradores de Baixo Guandu, Noroeste do Estado, foram sequestrados por traficantes do Comando Vermelho, em julho deste ano. O nome dele não vai ser divulgado, pois é testemunha-chave das investigações. Os três montaram a empresa no Rio há dois meses.

Éder Henrique de Moura Teixeira, de 32 anos, e o sócio dele, Luiz Paulo dos Santos França, de 30, ainda estão desaparecidos. Um terceiro sócio, de 30 anos, também morador de Baixo Guandu, conseguiu escapar com ferimentos.

Equipes da Polícia Civil, da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro realizaram buscas pelos desaparecidos, nas dunas do Bairro Guarani, em Cabo, na Região dos Lagos do Estado do Rio de Janeiro, onde foram vistos pela última vez. Na operação, as autoridades encontraram restos mortais, que acreditaram ser das vítimas.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: TRIBUNA ONLINE

COMENTE ESTA NOTÍCIA!