SÃO MATEUS – Ao TRE, Daniel ‘rejeita’ Açaí, reduz escolaridade, se declara ‘pardo’ e com R$ 680 mil em ‘dinheiro vivo’ para Eleições 2020

2980

Candidato à reeleição, o atual prefeito de São Mateus, Daniel Santana Barbosa (PSDB), apresentou requerimento de registro da candidatura ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em 2020 com informações que merecem a observação mais atenta do eleitor. Alguns dados são curiosos e outros até divergem do registro da candidatura ao pleito de 2016, quando se elegeu prefeito.

Ele tornou-se prefeito com o nome de urna ‘Daniel da Açaí’, fazendo alusão à sua empresa Água Mineral Açaí. Mas decidiu mudar, depois de ter o mandato cassado em primeira e segunda instâncias sob a acusação de ter distribuído água potável à população durante a crise hídrica no período eleitoral, e ser absolvido por 4 a 3 no TSE apenas em dezembro de 2019. O prefeito adotou ‘Daniel Santana’ como nome de urna este ano.

No entanto, mesmo não estando oficialmente no comando da empresa, Daniel tem outros motivos para não ter o nome ligado à empresa Água Mineral Açaí, como ficou comprovado em reportagens do CENSURA ZERO [clique aqui].

ESCOLARIDADE E COR/RAÇA

Um dado incoerente da documentação entregue à Justiça Eleitoral é com relação à escolaridade. Daniel, que havia declarado ter o ‘ensino médio completo’ em 2016, informou à Justiça Eleitoral ter o ‘ensino médio incompleto’ no pedido de registro das Eleições 2020.

Outro dado importante é a alteração no item cor/raça. Em 2016, Daniel elegeu-se como ‘branco’. Agora, declarou ser ‘pardo’, como atestam documentos que acompanham esta reportagem.

DECLARAÇÃO DE BENS ‘CURIOSA’

Já a declaração de bens protocolada com a documentação ao TRE é, no mínimo, curiosa. O prefeito Daniel declarou encolhimento do seu patrimônio nesses quatro anos. Exatos R$ 203.200,00 a menos, correspondentes à redução no destacado volume de “dinheiro em espécie” que afirmou ter em seu poder.

Em 2016, o então candidato declarou possuir R$ 971.344,00 em bens. Além de quotas da Água Mineral Açaí (R$ 31.344,00) e um terreno no Bairro Litorâneo (R$ 90 mil), Daniel Santana Barbosa afirmou ter R$ 850 mil em dinheiro vivo.

Agora, em 2020, declara ter patrimônio de R$ 768.144,00, destacando que as quotas da Água Mineral Açaí mantiveram-se com valor estático (R$ 31.344,00), assim como a área de terras (R$ 90 mil). O candidato à reeleição declarou ao TRE valor menor de “dinheiro em espécie”, mesmo assim alto: R$ 646.800,00.  

Vale assinalar que, conforme dados oficiais da Justiça Eleitoral, em 2016, o próprio Daniel Santana Barbosa foi principal financiador de sua campanha, bancando R$ 288 mil dos R$ 320.960,00. Ou seja, arcou com 89,73% dos gastos da campanha vitoriosa a prefeito de São Mateus.

COLIGAÇÃO ENCOLHIDA

Um aspecto que pode ser notado com mais facilidade é o encolhimento da coligação do prefeito Daniel Santana na candidatura à reeleição: de 12 partidos em 2016 para apenas 5 siglas em 2020. Há quatro anos, o partido dele, o PSDB, firmou aliança com PMDB, do vice Dr. Zé Carlos (falecido), e com PRB, PDT, PT, PTN, PHS, PSDC, PTC, PV, PRP e PCdoB.

Desta vez, com a debandada geral, Daniel conseguiu unir ao PSDB somente Cidadania (do candidato a vice-prefeito Ailton Caffeu), PDT, PTB e MDB. Todos os presidentes destes partidos são ligados a ele como integrantes do primeiro escalão da Prefeitura ou servidores de cargos comissionados, sendo que PTB e MDB não conseguiram formar chapas de candidatos a vereador(a).

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA  

COMENTE ESTA NOTÍCIA!