Senador Flávio Bolsonaro explica rompimento do PSL com o governo Witzel

507

Em entrevista exclusiva ao Programa Isabele Benito, da Super Rádio Tupi (RJ), na manhã desta quinta-feira (26/09), o senador pelo Rio de Janeiro Flávio Bolsonaro (PSL) negou que o PSL-RJ irá expulsar ou impor sanções aos membros da sigla que permanecerem no governo Wilson Witzel (PSC). 

Durante cerca de 15 minutos de conversa com o comunicador Cristiano Santos, o senador comentou sobre questões relevantes para economia do estado, como o petróleo e o turismo, além de ter elogiado o desempenho do pai, o presidente da República Jair Bolsonaro (PSL), no discurso de abertura da 74ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

Sobre o rompimento com Witzel, Flávio explicou ser inevitável o partido tomar a medida devido a postura do governador que, publicamente, já manifestou o desejo de concorrer à Presidência da República. Tal projeto político vai de encontro com as pretensões de Jair Bolsonaro, que segundo Flávio, deverá disputar a reeleição em 2022.

OUÇA O PODCAST:

Recentemente, o senador passou dez dias em viagem à China, e revelou o desejo de estreitar as relações com o país oriental. Na entrevista a Super Rádio Tupi, Flávio Bolsonaro garantiu haver possibilidade da flexibilização da concessão de vistos para turistas chineses.

Indagado sobre a questão do petróleo, o senador disse ter o projeto de retomar as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), localizado no município de Itaboraí, Região Metropolitana do estado. Segundo Flávio, durante a viagem à China, uma empresa demonstrou interesse em investir no Comperj. Também na entrevista, ele comentou acerca da disputa entre os estados produtores e não produtores pela porcentagem do repasse dos royalties do petróleo.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!