No cuidado em fazer a vontade de Deus está o grau de relacionamento do servo com o Senhor. Agradar a Deus é fazer Sua vontade de forma livre e espontânea. Esse é o mais sublime sentimento que norteia a vida de quem realmente é servo do Altíssimo.

É até compreensível ver a maioria das pessoas preocupada com seus afazeres e cuidados, com o agrado de si mesma. Doloroso é ver, incluídos nessa maioria, aqueles que, apesar dos muitos conhecimentos bíblicos e anos na Igreja, não têm o mínimo sentimento de querer priorizar a vontade do Deus que dizem crer.

Mas, como servir Alguém a Quem não conhecemos? Como agradar ou fazer a vontade de Um Desconhecido?

Esse não é o problema dos nascidos e selados com o Espírito Santo. Eles entendem perfeitamente o significado da vontade do Senhor, porque, sobretudo, são possuídos pelo Mesmo Espírito do Senhor Jesus. São servos, nasceram para servir, não para serem servidos. Sabem a vontade de seu Senhor.

Se o faz ou não, são outros quinhentos. Mas, quando eles agradam ao seu Senhor, Este torna possível a realização de seus sonhos de forma natural, sem ansiedade, estresse ou coisa parecida. Até porque, a vontade de Deus jamais vai contra o bem-estar dos Seus filhos. Como Pai, Ele sabe o que é melhor ou não para os filhos.

Muitas vezes, ou quase sempre, eles usam a fé para tomar posse de bens antecipados. Quanto a isso, pergunto: qual a capacidade da criança administrar mil reais? Por conta disso, há que se usar a fé nas conquistas materiais, sim, mas sempre sujeitar tal fé, rigorosamente de acordo com a vontade de Deus, para que a bênção não se torne maldição. Afinal, como está escrito: a bênção antecipada é maldição.

“A herança que no princípio é adquirida às pressas, no fim não será abençoada” (Provérbios 20.21).

Autor: Bispo Edir Macedo. Publicado originalmente no Blog do Bispo Macedo (bispomacedo.com.br)

COMENTE ESTA NOTÍCIA!