Casagrande anuncia: Fundo Soberano recebe 1ª transferência no valor superior a R$ 11 milhões

468
SECOM-ES/DIVULGAÇÃO - O Tesouro Estadual aportou o valor de R$ 11.179.850,19, oriundo da parcela mensal dos royalties do petróleo da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o Espírito Santo.

O governador Renato Casagrande anunciou, no início da noite desta quarta-feira (17/07), a primeira transferência de recursos para o Fundo Soberano do Estado do Espírito Santo (Funses).

O Tesouro Estadual aportou, na tarde desta quarta, o valor de R$ 11.179.850,19, oriundo da parcela mensal dos royalties do petróleo da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para o Estado. Durante um ano, o Funses deve receber entre R$ 400 milhões e R$ 500 milhões.

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, Casagrande lembrou que a criação do Fundo Soberano é decorrente do acordo de unificação dos campos no Parque das Baleias, firmado entre a ANP e a Petrobras. A questão foi iniciada em 2013, ainda durante sua primeira gestão, quando o Estado do Espírito Santo acionou o Poder Judiciário para garantir a medida.

“Agora que voltamos ao Governo, retomamos a atenção e conseguimos concretizar a unificação, o que irá nos render aproximadamente R$ 500 milhões a mais em participação especial, além de valores retroativos, que serão destinados para a criação de um fundo de investimento. É uma riqueza do presente para garantir o futuro dos capixabas”, afirmou.

“SAIR DA DEPENDÊNCIA”

Segundo ele, o Governo poderia alocar esses recursos imediatamente no caixa do Estado, mas “tomamos a decisão como uma família que precisa de um eletrodoméstico e opta por poupar pensando no futuro”.

Casagrande acrescentou que o Estado vai utilizar o valor compensatório para sair da dependência do petróleo e do gás. “O Fundo Soberano se associará a empresas, gerando rendimentos. É o primeiro depósito desse Fundo que fará história no Espírito Santo”, celebrou.

Criado há pouco mais de um mês, o Funses é uma forma de guardar as receitas do presente para garantir o futuro das próximas gerações, e foi criado para que o Estado não fique dependente da exploração do petróleo. A gestão é feita pelo Conselho Gestor do Fundo Soberano (Cogef). 

CENSURA ZERO – REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: ASCOM GOVERNO DO ES

COMENTE ESTA NOTÍCIA!