Lutando por direitos, trabalhadores da GSM paralisam atividades em Ecoporanga

682
DIVULGAÇÃO

Os trabalhadores da empresa GSM Group (antiga Tracomal), em Ecoporanga, decretaram greve até que os patrões cumpram o que já é determinado por lei. O Sindimármore, que representa a categoria, afirma que a empresa atrasa pagamentos de salários todo mês, não está depositando o FGTS e ainda cortou o café da manhã e o lanche da tarde.

“Além disso, obriga os trabalhadores a saírem de férias sem receber”, destaca o sindicato, afirmando que a greve já conta com 100 trabalhadores, que estão unidos e mobilizados na luta por seus direitos.

Em nota ao CENSURA ZERO, o Sindimármore afirma que está dando todo o suporte aos trabalhadores, já propôs ação judicial, enviou ofícios à empresa, tentou negociação, mas situação não muda. “Por isso, em assembleia, os trabalhadores decidiram parar”, acrescenta.

Diretor do Sindimármore, Fernando Vieira informou que a greve atinge os trabalhadores da extração e do beneficiamento de granito. “A situação é tão absurda que a empresa paga um salário vencido e deixa outro para trás, sem pagar. E assim sucessivamente. Resumindo tudo: estão empurrando com a barriga. Estamos abertos ao diálogo, mas do jeito que está não pode ficar”, destacou.

O OUTRO LADO

O CENSURA ZERO disponibiliza espaço para a direção da GSM Group fazer os esclarecimentos pertinentes sobre o assunto abordado.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!