Eleitores de quatro cidades do ES terão que fazer recadastramento biométrico

413

Em sessão plenária do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TRE-ES), realizada na última segunda-feira (26/08), foi aprovada por unanimidade a resolução com as datas de início do recadastramento biométrico dos eleitores de Colatina, Cachoeiro de Itapemirim, Piúma e Marataízes.

O recadastramento biométrico obrigatório em Colatina terá início no dia 11 de setembro; em Cachoeiro de Itapemirim começará no dia 18 de setembro; em Piúma o dia escolhido para começar foi 09 de outubro; e 23 de outubro é a data inicial em Marataízes. Os eleitores dessas cidades deverão comparecer às unidades da Justiça Eleitoral (em cada município) portando documento oficial com foto, título de eleitor (se tiver) e comprovante de residência recente para fazer a biometria.

Importante ressaltar que os eleitores que já possuírem o título de eleitor, do respectivo município, do qual conste a expressão “Identificação Biométrica”, no canto superior direito, não precisarão comparecer à convocação.

IDENTIFICAÇÃO MAIS SEGURA

O objetivo do cadastramento é tornar ainda mais segura a identificação do eleitor na hora do voto, ao impedir qualquer possibilidade de fraude. Mesmo quem não é obrigado a votar – pessoas com mais de 70 anos de idade, analfabetos e maiores de 16 e menores de 18 anos – deve fazer o cadastramento caso deseje votar nas próximas eleições.

O eleitor que não se apresentar terá o título cancelado. Além disso, não votar nem justificar ausência pode resultar em uma série de restrições, como a impossibilidade de obter a certidão de quitação eleitoral, renovar passaporte e tomar posse em cargo público.

No Espírito Santo, 1.332.404 dos eleitores (48,36%) já fizeram o recadastramento biométrico. 38 municípios do Estado foram revisados em sua totalidade.

O QUE É BIOMETRIA?

A biometria é uma tecnologia empregada pela Justiça Eleitoral que permite identificar o cidadão, de modo seguro e eficaz, por meio das impressões digitais, da fotografia e de sua assinatura.

No momento da votação, o reconhecimento das digitais ocorre por meio de leitor biométrico acoplado ao terminal do mesário. As digitais são únicas em cada indivíduo, o que oferece a garantia de que quem está votando é realmente o titular do voto. Assim, a biometria dá ainda mais segurança à eleição.

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA | FONTE: TRIBUNA ONLINE

COMENTE ESTA NOTÍCIA!