Fake news contra Maguinho no WhatsApp partiu de número impostor usado por malfeitores da internet

361

Um número com características de ser impostor é apontado como o canal disseminador da circulação criminosa de uma notícia falsa – fake news – contra o professor de Educação Física Carlos Magno Alhakim Figueiredo, o Maguinho, no domingo (29/09), em grupos de WhatsApp de São Mateus e região. A informação foi obtida depois de apuração feita pelo CENSURA ZERO, que realiza um trabalho de combate a fake news e sua propagação nas redes sociais e na internet.

Maguinho já denunciou o caso à Polícia Civil, por meio de Boletim Unificado (BU), no domingok (29/09) e nesta segunda-feira (30) relataria o caso no DPJ de São Mateus. Ele publicou um post em seu perfil no Facebook tranquilizando parentes e amigos com relação ao conteúdo da fake news, com a afirmação de que ele teria abusado de duas crianças na vila Maruim (Bairro Porto) e estaria fugido da Cidade.

O número +55 28 99957-6481, identificado com o nome de ‘Patrick Damascena’, fez um post no grupo BOCA NO TROMBONE 4 às 11h07, com erros na escrita, especialmente pontuação e ortografia, exatamente assim: “Atenção Estuprador! Professor Carlos Magno vulgo Maguinho estrupou duas criança do Bairro Maruim e Encontra-se foragido, da Cidade de São Mateus. #COMPARTILHE #AJUDE #DISKDENUNCIA181”. A notícia falsa foi postada junto com uma foto do professor Maguinho, retirada do perfil dele no Facebook.

OUTRO GRUPO

O mesmo número +55 28 99957-6481, identificado com o nome de ‘Patrick Damascena’, postou a mesma fake news com a foto da vítima no grupo RONDA DA CIDADE, às 11h08. Neste grupo, diversos integrantes começaram a fazer questionamentos sobre a veracidade e a pedir esclarecimentos sobre a informação divulgada sobre o conhecido professor mateense, e ‘Patrick Damascena’ saiu depois das 14h07.

Não há a confirmação de que esses dois grupos tenham sido os primeiros a serem usados pelo perfil impostor, mas é certo que, a partir deles, muitos internautas incautos (ou mal-intencionados) tiveram conhecimento da fake news e passaram a compartilhá-la em outros grupos de WhatsApp.

Diante dos fatos, o professor Carlos Magno postou o seguinte comunicado no Facebook: “Amigos… passando pra dizer que estou bem, e que quanto ao anúncio fake, já fiz BU e vou prosseguir com o processo até o final”.

OUTRA VÍTIMA

Em contato com o CENSURA ZERO, o internauta Léo Ribeiro, que é dono de uma página no Facebook, afirmou que o número +55 28 99957-6481, identificado com o nome de Patrick Damascena, já é conhecido da Polícia Civil.

A denúncia foi feita por ele mesmo às autoridades policiais depois de publicação de fake news envolvendo o seu nome, também no grupo Ronda da Cidade.

VEJA TAMBÉM:

Maguinho recebe apoio de amigos nas redes sociais após ser vítima de fake news: ‘Justiça de Deus não falha’

Professor Maguinho tranquiliza amigos e denuncia à polícia fake news espalhada em grupos de WhatsApp

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!