EDITORIAL – Daniel da Açaí e a promessa de ‘solucionar água salgada em São Mateus’; entenda por que o prefeito fracassou!

901

O prefeito Daniel Santana, conforme a documentação entregue ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para registro da candidatura à reeleição, não quer mais ser chamado de Daniel da Açaí. Em parte é trauma com a cassação do mandato em 1ª e 2ª instâncias por abuso do poder econômico, sob a alegação de distribuir água potável no período eleitoral de 2016, e passar quase três anos em batalha no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até conseguir a vitória de 4×3, com o ‘voto salvador’ do ministro Alexandre de Moraes no episódio da fatídica reunião registrada em foto polêmica.

Porém, o distanciamento proposital da Água Mineral Açaí visa também despistar os inúmeros problemas de gestão da empresa, que ainda está sob as ordens de Daniel, embora conste oficialmente que tenha se afastado depois de assumir as funções de prefeito de São Mateus. Execuções fiscais que tramitam na Justiça, reclamações trabalhistas e processos abertos no Ministério Público do Trabalho (MPT) não ajudam nada no momento de tentar renovar a ‘confiança do povo’ como gestor público.

E é aí que a situação se complica. Porque, como gestor público, Daniel da Açaí falhou terrivelmente no cumprimento prático da única promessa da campanha vitoriosa em 2016. O prefeito não conseguiu a solução definitiva para evitar a salinização da água em São Mateus por dois motivos determinantes: falta de competência e capacidade sofrível de articulação política.

Por meio de um porta-voz criminoso entranhado no sistema público de Comunicação Social, passou a culpar os vereadores pelo fracasso com o qual chega às Eleições 2020. E pensar que teve três grandes oportunidades de ouro para isso, que vale a pena relembrar aos de memória curta.

1ª OPORTUNIDADE

Na primeira parte do mandato, com o então Paulo Hartung, o vice César Colnago (padrinho político de Daniel), o secretário-chefe da Casa Civil Paulo Roberto Ferreira, o então secretário de Agricultura Octaciano Neto, o então senador Ricardo Ferraço, o então deputado federal Lelo Coimbra e o então deputado estadual Gildevan Fernandes (líder de Hartung na Ales), e um pool de grandes empresários.

VEJA ESTA REPORTAGEM DA TV SIM, EXIBIDA EM JANEIRO DE 2017, NO INÍCIO DA GESTÃO DE DANIEL DA AÇAÍ:

A promessa feita pelo prefeito Daniel da Açaí, em janeiro de 2017, à repórter da TV Sim não se cumpriu. Ele passou um ano inteiro e não conseguiu mudar o ponto de captação de água bruta do Saae no Rio Cricaré, cujo projeto foi orçado em cerca de R$ 40 milhões.

Mas não houve muito interesse prático do prefeito Daniel Santana na busca pela solução do problema. Ele não quis participar de audiência pública realizada em 26 de maio de 2017, pela Câmara de Vereadores, com o tema ‘Salinização da água: as medidas a serem adotadas pelo poder público’. [clique aqui]

2ª OPORTUNIDADE

Depois, em janeiro de 2018, o prefeito Daniel teve nova oportunidade, no último ano do governo Hartung.

César Colnago, atuando como governador em exercício, e todas as autoridades listadas acima participaram de uma reunião na Prefeitura de São Mateus, na primeira tentativa de resolver o problema de abastecimento por meio da concessão do Saae à Cesan.

Ocasião, Colnago deu a Daniel a missão de articular com Vereadores a proposta.

VEJA A REPORTAGEM DE ANDRÉ OLIVEIRA, AINDA NO PORTAL SBN, VEICULADA EM JANEIRO DE 2018:

Todo o ano de 2018 avançou e o prefeito Daniel Santana fracassou na missão a delegada, esbarrando na falta de capacidade de articulação política e de comunicação.

3ª OPORTUNIDADE

O ano de 2019 chegou e, com ele, novo titular do Governo do Estado: Renato Casagrande. Ele voltou a falar sobre solução definitiva para o abastecimento de água em São Mateus em reunião na Assenor, em 7 de maio de 2019, com a presença do então deputado estadual Freitas, outras autoridades e empresários.

Casagrande rolou a bola para o prefeito Daniel a articular a proposta com os Vereadores.

VEJA A REPORTAGEM DO CENSURA ZERO, VEICULADA EM 11 DE MAIO DE 2019:

FALTA DE DIÁLOGO

Mesmo diante do assunto bastante polêmico e de difícil trato político, o prefeito Daniel Santana encaminhou para a Câmara Municipal um projeto de concessão do Saae à Cesan, sem conversa prévia com os Vereadores. O impasse começou a surgir já na tramitação nas comissões.

Houve recusa do prefeito em comparecer na Câmara, mas ele convidou os interessados para uma reunião com representantes da Cesan, em 9 de agosto de 2019, no auditório do Saae, para explicar a proposta aos funcionários da autarquia municipal. A falta de diálogo e de entendimento político-comunitário eram visíveis.

VEJA ENTREVISTA DE ANDRÉ OLIVEIRA, PARA O CENSURA ZERO, COM O PREFEITO DANIEL SANTANA, NO DIA 9 DE AGOSTO:

NA MESMA REUNIÃO, O ‘CENSURA ZERO’ ENTREVISTOU O VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL, CARLOS ALBERTO:

PREFEITO MARCA AUDIÊNCIAS E NÃO COMPARECE

A Prefeitura de São Mateus marcou duas audiências públicas, uma na Sede e outra em Nestor Gomes, para discutir a proposta da Cesan, que integrou o projeto de lei do Executivo enviado à Câmara de São Mateus.

Mas, mesmo na condição de anfitrião, o prefeito Daniel Santana não participou dos debates com a população. Resultado: não conseguiu apoio popular à proposta e reforçou a já constatada falta de diálogo com os parlamentares.

VEJA REPORTAGEM DO ‘CENSURA ZERO’ COM O DIRETOR-PRESIDENTE DA CESAN, EM AUDIÊNCIA PÚBLICA CONVOCADA PELA PREFEITURA DE SÃO MATEUS, NO DIA 26 DE 2019:

MINISTÉRIO PÚBLICO

A Prefeitura de São Mateus não avançou na atualização do Plano Municipal de Saneamento Básico antes da votação do projeto de lei. Além disso, os Vereadores queriam propor mudanças na proposta de concessão do Saae à Cesan.

O Ministério Público Federal (MPF) interveio e realizou reunião em 23 de agosto, propondo a formação de um grupo de trabalho de múltipla representatividade debater a questão. O Ministério Público Estadual (MPE) também participou, realizando audiência pública em 26 de agosto de 2019, na qual o prefeito Daniel compareceu [clique aqui].

VEJA ENTREVISTA DO ‘CENSURA ZERO’ COM O PRESIDENTE DA CÂMARA DE SÃO MATEUS, JORGINHO CABEÇÃO, REALIZADA EM 27 DE AGOSTO DE 2019:

PARCERIA DO PREFEITO COM CRIADOR DE FAKE NEWS

O sistema de comunicação público em parceria com um criminoso condenado por produzir e distribuir fake news, atuando como porta-voz do prefeito, acirrava os ânimos nas redes sociais e complicou o diálogo de Daniel Santana com os parlamentares e a população.

Com placar apertado, de 6 a 5, o projeto de lei do prefeito Daniel Santana foi rejeitado pela Câmara de São Mateus em votação realizada na sessão de 10 de setembro de 2019. [veja aqui]. Em nota oficial no dia 14 de setembro, Daniel reclamou da oposição e afirmou que o “planejamento de recuperação do Saae só pode acontecer a longo prazo”.

OUTRO PROJETO MAL-ARTICULADO

No entanto, Daniel tem uma dificuldade enorme em aprender com os próprios erros. Pouco tempo depois, em decisão unilateral, enviou para a Câmara de São Mateus um projeto de lei de recuperação econômico-financeira do Saae. Voltaram a ficar evidentes a falta de capacidade de articulação política e de articulação com as comunidades.

A proposta começou a tramitar nas comissões, sem que o prefeito Daniel se dispusesse a detalhar o projeto aos vereadores e, principalmente, à opinião pública. Veio a anormalidade da pandemia de covid-19 e, somente no início de agosto deste ano, foi votado, sendo rejeitado por 6 a 5.

Presidente da Comissão de Finanças do Legislativo, o vereador Carlos Alberto disse que o projeto permitia ao Saae contrair empréstimo por decreto e aumento de tarifa por portaria. O 1º secretário da Mesa Diretora, vereador Jozail do Bombeiro, também apresentou ponderações.

VEJA OS VÍDEOS:

ELEIÇÕES 2020 E VOLTA DA SALINIZAÇÃO

O prefeito Daniel Santana tem se mantido calado sobre a candidatura à reeleição e ao retorno da água salgada. Tem ‘falado’ apenas por meio do seu porta-voz, na particularidade que os Mateenses já conhecem: culpando vereadores, atacando adversários, extravasando a voracidade em denegrir cidadãos de bem e achincalhar autoridades… E dá-lhe ÁGUA SALGADA!

A população já começa a passar por nova etapa do sofrimento, que pode ter reflexo nas urnas. É certo que o Povo de São Mateus já está com a paciência esgotada com isso tudo. E a rejeição nos bairros da periferia comprova!

Com o início da campanha eleitoral, vamos acompanhar até onde vai a tolerância da Polícia, do Ministério Público e da Justiça Comum e Eleitoral!

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!