EDITORIAL – Após ‘foto polêmica’, Da Vitória reaparece ao lado de Daniel na virada, mas a participação do Padre Patric agita redes sociais e bastidores políticos

1133

Deve ser destacada a participação do deputado federal Da Vitória em São Mateus, prestigiando como aliado prefeito Daniel Santana o Réveillon Guriri 2020, em cima do trio elétrico no qual foi feita a contagem regressiva de recepção ao Ano Novo. É que foi a primeira aparição pública dele na Cidade desde o episódio da foto polêmica ao lado ministro Alexandre de Moraes (STF e TSE), junto com a senadora Rose de Freitas e o advogado de Daniel, Altamiro Thadeu, em lobby bem-sucedido em favor do prefeito. Mas, desta vez, foi a presença do padre Patric Vanderlei, da Diocese de São Mateus, que gerou comentários nas redes sociais e nos bastidores políticos da Cidade. Trataremos disso daqui a pouco.

Vamos, antes, analisar a presença do atual coordenador da bancada federal capixaba, Da Vitória, que foi convidado do prefeito Daniel da Açaí, assim como o vereador Francisco Amaro, o presidente da Abavam, Paulo César Gama, e o padre Patric da Silva Wanderley, diretor da Rádio Kairós FM, que ainda atuava como vigário da Paróquia de Guriri.

Vale recordar que, por meio de sua assessoria, Da Vitória mentiu ao CENSURA ZERO ao afirmar que esteve no gabinete do ministro Alexandre de Moraes, no Supremo Tribunal Federal, para tratar da Lei dos Royalties, assim como fez a senadora Rose de Feitas em contato telefônico na ocasião. Ficou comprovado em reportagem do CENSURA ZERO que, como aliados de Daniel da Açaí, Rose de Freitas e Da Vitória levaram o advogado Altamiro Thadeu, da defesa do prefeito, para tratar do recurso especial eleitoral que ele impetrara na tentativa de conseguir reverter a cassação em segunda instância. O registro na Agenda Oficial do Ministro no site do STF é prova cabal!

E a foto tirada no encontro começou circulou nas redes sociais, causando burburinho nos bastidores políticos em São Mateus e no Espírito Santo. E não era para menos: a visita foi feita antes de Alexandre de Moraes proferir seu voto contrário ao relatório da relatora-presidente Rosa Weber, que era pelo não provimento do recurso de Daniel. Moraes, que substituiu o ministro Luís Roberto Barroso no julgamento do caso, proferiu um voto caduco, cheio de gafes e desinformação, mas que acabou sendo decisivo em favor de Daniel da Açaí na vitória por 4 a 3. A história desse julgamento, para ser verdadeira, terá que sempre registrar ‘o episódio da foto polêmica’.

Não estivemos lá, mas certamente Da Vitória não fez referência a esse fato no discurso na virada do ano. Pedir desculpas ao Povo Mateense pela mentira? Fora de cogitação! O que podemos afirmar, com segurança, é que a tentativa de Da Vitória e Rose em ludibriar o povo mateense e a imprensa [e, no jargão jurídico, é impossível não tecer loas ao CENSURA ZERO] não foi diferente do modo como tem agido o prefeito Daniel ao justificar a falta de investimentos nos serviços básicos e a má gestão dos recursos destinados a obras públicos, como a do Bairro Porto [Histórico e da periferia], que temos chamado de ‘crime sociocultural’.

Inclusive em entrevista à Rádio Kairós, onde culpou o Governo Federal e a Caixa, mas ainda não explicou porque deu ordem de serviço à empreiteira em janeiro de 2019, mesmo sabendo que o empenho dos recursos havia sido do cancelado pela Caixa em dezembro de 2018. E pior: quis receber as primeiras medições em fevereiro de 2019! Claro, não conseguiu. Depois passou a culpar Bolsonaro e companhia, chegando a fazer um aditivo ao contrato da empreiteira, dobrado o tempo de execução da obra até setembro. A obra, de R$ 751 mil, está parada. Mas os pregões milionários de trios elétricos, estrutura de festas e os shows, no valor total de quase 10 milhões, estão em franca execução.

A recepção de Daniel da Açaí a Da Vitória, Francisco Amaro e Padre Patric, entre outros, foi nessa estrutura. Talvez pudessem perceber o assoalho do trio elétrico representando o ‘luxo’ que o lamaçal da esburacada Ladeira São Benedito ainda sonha usufruir para manter sua ‘originalidade’ no acesso ao Patrimônio Cultural, Histórico e Turístico de São Mateus e do Espírito Santo lapidado por vidas de negros escravos, acolhido por Mateenses e turistas, mas ignorado por uma gestão insensível e incompetente!

Por tudo isso e por tantos outros fatores que conhecemos, a presença de Patric Vanderlei causou estranheza junto àquele grupo em cima do trio elétrico na virada do ano. A participação como padre e diretor da Rádio Kairós FM, que tem se mostrado aliada do mandato de Daniel, seria até compreensível. Mas moradores recordaram a fala contundente do padre contra a ‘politicagem’ em São Mateus, enquadrando deputados estaduais da Comissão de Segurança e Combate ao Crime Organizado da Assembleia Legislativa, Vereadores, outras autoridades e o público presente à audiência pública sobre segurança realizada no Sesc.

Destacando a preocupação com a segurança pública em São Mateus, o religioso relatou casos e cobrou seriedade das autoridades que ali estavam, apelando para que o encontro não fosse visto como ‘palanque político’. E é possível afirmar que a veemência da fala de Padre Patric contribuiu para o bom andamento dos trabalhos. No entanto, ele foi testemunha de que um dos principais encaminhamentos e proposta executável da audiência -a implantação da Guarda Cidadã a partir da escolha de um gestor com experiência em Segurança Pública-, não foi acatada pelo prefeito Daniel.

Nos dois primeiros dias de 2020, o assunto ‘Padre Patric no trio de Daniel’ foi repercutido na internet e nas redes sociais, com os comentários se estendendo às conversas políticas em São Mateus. A presença de um religioso, de discurso implacável contra os engodos da velha política, tecendo elogios a uma gestão sofrível, foi alvo de críticas. Aqueceu os grupos de WhatsApp. Houve quem afirmasse até que, pelos movimentos indicados, ‘Padre Patric pode ser vice de Daniel numa futura composição do prefeito na disputa pela reeleição’ e até reacenderam o debate sobre a presença de líderes religiosos na política.

O CENSURA ZERO não estava presente. Não sabemos o conteúdo do discurso do representante da Igreja Católica, que é abençoado com o dom da palavra e cativa quem o ouve. Muito bom que abençoou o evento na Ilha! Seria prudente também ter conclamado o deputado federal Da Vitória a ser mais leal com o Povo Mateense e aconselhado o prefeito Daniel da Açaí a rever conceitos e atitudes da administração municipal, buscando fazer uma gestão que priorize a qualidade dos serviços públicos e aja com a verdade!

Com todo o respeito à autoridade eclesiástica, se não o fez, a despeito de todas as reações que tenha provocado, Padre Patric perdeu uma grande oportunidade de reafirmar as palavras reverberantes do encontro no Sesc!

“Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento” (Provérbios 2:6).

CENSURA ZERO – AQUI TEM CONTEÚDO! | REDAÇÃO MULTIMÍDIA

COMENTE ESTA NOTÍCIA!